Arquivo

2008

Posts em 2008.

Feliz Ano Novo

E então mais um ano se foi. Estou me despedindo de 2008 e aguardando 2009 com certa ansiedade.

Agradeço a todos que visitaram, leram, comentaram, voltaram e se divertiram comigo aqui no trecos & trapos. Agradeço por todas as pessoas que conheci graças a esse blog. E agradeço especialmente a você, que me está aqui lendo este texto.

Desejo a todos um Feliz Ano Novo. Que este novo ciclo que tem início em algumas horas traga inspiração, alegria, amor, paz e saúde pra mim e pra ti.

Obrigada por tudo e até o próximo ano. < / 2008 >

[REC]

Três semanas atrás tive uma experiência aterrorizante. Finalmente vi [REC], uma produção espanhola de terror dos diretores Jaume Balagueró e Paco Plaza. Ainda não me recuperei. Desde então não consigo mais dormir com a luz apagada quando estou sozinha no quarto, porque o medo do escuro ficou ainda mais forte (não mais do que já fora, isso é verdade).

Este texto contém spoilers, recomendo a leitura após ter visto o filme.

Uma produção simples, barata bem dirigida. A prova real de que saber contar uma história é suficiente para se fazer um bom filme. Por mais que seja tão batida, como é o caso das histórias de zumbis. O filme não assusta pela quantidade de sangue ou por efeitos especiais miraculosos. O filme assusta pela maneira como a história é contada.

A idéia do filme é fazer cinema-verdade, de mentirinha, como em A Bruxa de Blair. A câmera do filme é “a mesma” do cinegrafista do programa “Enquanto você dorme”, Pablo, que junto com a apresentadora do programa, Angela Vidal, vão para o corpo de bombeiros para mostrar a rotina desses trabalhadores durante a noite. O cinegrafista não aparece em nenhum momento do filme, apenas sua voz.

Para a narrativa parecer ainda mais crível diante dos olhos dos espectadores, o filme não tem trilha sonora, inicia sem mostrar créditos, direto com Angela fazendo a chamada do programa. E ela erra muitas vezes, para que o público acredite mesmo na veracidade da ‘fita’.

E a surpresa com o tédio é decepcionante, que a apresentadora chega a torcer por uma tragédia. Finalmente o alarme, pelo menos o programa não seria um fracasso. Um prédio comum. Os bombeiros chegam junto com a diminuta equipe de TV para atender o chamado dos moradores que ouviram gritos do apartamento de uma senhora (a velha dos gatos!).

É interessante perceber a presença de elementos clássicos de filmes de zumbis, a película é dividida em três atos: a apresentação, a infecção e a sobrevivência (tentativa). Chegando ao prédio os moradores estão quase todos no térreo ansiosos. Uma viatura com dois policiais já estava lá.

Elementos surpresas aparecem a todo o momento. Tanto para nós, que estamos assistindo, quanto para os atores. Eles não receberam o roteiro inteiro para ler, a filmagem foi realizada em ordem cronológica dos acontecimentos, assim como nos é apresentada. Os atores recebiam apenas uma sinopse da cena que iriam filmar, e não sabiam o que aconteceria depois. E na cena em que um corpo cai lá do alto eles ficaram tão surpresos quanto o público, eles não sabiam que aquilo iria ocorrer.

Existe uma tensão criada pela atmosfera claustrofóbica – ninguém entra e ninguém sai do prédio, estão cercados por todos os lados pela polícia, em uma espécie de quarentena – e pela ignorância em relação ao que exatamente está acontecendo – assim como os personagens, nós não temos idéia do que levou a infecção.

Tudo o que vemos no filme é captado pela câmera do cinegrafista de “Enquanto você dorme”. E é muito interessante ver a câmera chacoalhando, ficando sem som, batendo nas coisas. Iluminando locais escuros. O filme nos dá muitos sustos e cumpre seu propósito como filme de terror. E o final é surpreendente e assustador. Eu fique bastante impressionada. E quem avisa amigo é: cuidado com a Menina Medeiros!

No You Tube tem o trailer do filme, a reação do público nos cinemas e uma brincadeirinha que fizeram sobre o desaparecimento de Angela Vidal e Pablo.

“Pablo, graba lo todo. Por tu puta madre.”

Feliz Natal blogueiro

Não sou muito apegada a estas datas, apesar de adorar a troca de presentes. E para comemorar este natal eu escrevo este post como parte dos presentes que darei ao Juliano hoje.

Estou escrevendo para recomendar pra você leitor um outro blog. Que eu particularmente considero muito bom, daqueles que te prende a atenção e te faz ler desde o primeiro post, encher de comentários, assinar os feeds e aguardar ansiosa (ou ansioso, o que ficar melhor pra ti) por atualizações. E o blog em questão é o Cavalca Blog.

Em primeiro lugar tu queres saber quais assuntos são abordados no blog, não é mesmo? Essa pergunta é fácil de responder, pois diferente do trecos & trapos, o Cavalca Blog tem um assunto bem específico: séries de TV e cinema. Com ótimos textos, críticas perspicazes e comentários certeiros o blogueiro (que por acaso é meu namorado) deixa claro suas preferências e seu conhecimento sobre o assunto. E não é puxa-saquismo não, ele sabe do que está falando. Ou melhor, do que está escrevendo. Ele acompanha várias séries episódio por episódio, faz resenhas, cita diálogos, dispara críticas e elogios, comenta personagens e atores, atrizes, diretores, roteiristas. E com os filmes a mesma coisa.

Alguns de seus textos tratam mais da vida pessoal, como aquele sobre o sonho com o Cebolinha. Mesmo ao tratar do seu assunto principal ele não deixa de fazer comentários pessoais, afinal de contas estamos falando de uma pessoa (e uma pessoa maravilhosa, diga-se de passagem!).

Particularmente eu recomendo alguns textos muito bons para iniciar a leitura:

Espero que tenha uma boa leitura. E um Feliz Natal.

Para quem gosta de literatura fantástica

Quem me conhece sabe que eu tenho um carinho todo especial pela literatura fantástica. Sempre que posso leio um exemplar dos clássicos ou uma novidade quentinha.

E como eu sempre acho importante saber as origens de determinado gênero, seja na literatura, no cinema ou até mesmo na TV eu procuro ler textos de introdução e sínteses sobre o assunto.  E como literatura fantástica tem um clã de seguidores fiéis, não é difícil achar publicações a respeito. A Rosana Rios escreveu Uma Introdução à Literatura Fantástica que é ótima para iniciantes e para revisões dos conhecerdores. Se tu se encaixa em uma das categorias anteriores, ou simplesmente ficou curioso sobre o assunto, não deixe de ler.

E para quem gosta de poesia Tolkeniana, que tabém é fantástica, pode procurar pelas “As Aventuras de Tom Bombadil” do mestre Tolkien. O livro foi publicado pela primeira vez no Brasil recentemente pela Martins Fontes em uma edição bilíngue. Eu estou babando por um exemplar.

As Aventuras de Tom Bombadil

Cevas & Blogs VII: a saga continua

Porto Alegre, Pinacoteca. Minutos antes das 20 horas. Para o espanto geral dos convocados, um grande número de bêbados, ops, de blogueiros, já haviam chegado ao local programado para o maior evento da blogosfera gaúcha.

A Luísa fez um excelente trabalho com a sétima edição (e última do quase falecido 2008). Não sei quantos blogueiros compareceram, porque infelizmente não tivemos a tradicional lista de presença. Mas não se desespere. Convoco a todos os presentes para se manifestem aqui ou no twitter com o respectivo endereço de referência (o do blog) que eu não hesitarei em publicar aqui.

Off Topic: Por falar nisso, alguém sabe o nome de um tal plugin do wordpress que possibilita as modificações posteriores do post aparecerem no RSS?

Voltando ao assunto. A noite foi divertidíssima. Presença confirmada em todos os Cevas & Blogs, Fanny deixou todos os presentes perplexos com suas anedotas (que renderam muitas gargalhadas). E o melhor de tudo: os melhores momentos foram gravados em áudio para um futuro provável podcast especial Cevas & Blogs (cortesia do Coisa).

Muitas caras novas, outras nem tanto. A noite foi avançando, as risadas continuaram, pessoas tinham que voltar para suas moradas tão tão distantes (ainda bem que descolei um colchão na casa da Gisele para passar a noite com o Juliano e pude ficar até o final).

Depois da meia noite os remanescentes rumaram para a gigantesca fila da noite LONDON CALLING! – can you hear it? do Cabaré do Beco. Mais de 1 hora na fila. Desistência. Lanche e cama.

Saldo da noite: dores na bochecha de tanto rir. Novos blogueiros para ler. Ter finalmente conhecido a Karla. Moicano laranja e outras pérolas.

Em breve fotos, vídeos e áudios. Aguarde e confie.

Wolverine, o trailer

Quero muito ver esse filme. E o trailer está tão bom que atiçou ainda mais minha vontade.

Se o filme será bom, só em maio de 2009 para saber. Mas que tem tudo pra ser, isso tem.

E tem um certo francês de cartas explosivas… Personagens que não apareceram nos filmes da trilogia mutante marcam presença no longa com garras de adamantium.

X-Men Origins: Wolverine, o trailer:

Depois desse trailer me resta limpar a saliva que escorreu pelo cantinho da boca e exclamar: UAU!

F.R.I.E.N.D.S.

Foram dez temporadas, seis amigos, muitas histórias e milhões de fãs. Fãs esses que ficaram órfãos. Sentimento de ausência que compartilhei depois de ter visto todas as temporadas em sequência (exceto a primeira que tinha visto ano retrasado) e maratonas de risos e lágrimas ao lado do Juliano.

Friends passou pela minha vida e deixou muita saudade. Fico imaginando como foi ver o último episódio para aqueles que acompanharam desde o início as peripécias de Ross, Mônica, Chandler, Rachel, Joey e Phoebe (com aqueles cabelos terríveis lá em 1994). Porque para mim foi muito doloroso, mesmo tendo levado apenas 10 semanas para ver comparado com os dez anos da série.

Nas primeiras temporadas eu elegi o meu personagem preferido: Ross. Paleontólogo, um nerd adulto (nem tanto) que “escondia”seu amor platônico por Rachel. Lembro de como chorei vendo as investidas em um romance que parecia impossível. Como fiquei feliz vendo os dois finalmente juntos. No entanto minha preferência foi mudando enquanto a série corria. Chandler foi o novo eleito a partir da 4ª temporada. As piadas e o fracasso com as mulheres sempre me faziam rir.

Além disso, o romance entre ele e Mônica renderam sessões de choro constantes (como quando ele diz que a ama pela primeira vez, mesmo que tenha sido depois de muitas gargalhadas do jogo de sedução entre ele e Phoebe; ou ainda no pedido de casamento).  E no final da série a despedida do apartamento que abrigou os seis amigos  porque o casal comprou uma casa no subúrbio foi de cortar o coração.

A última temporada é um fechamento das histórias pessoais de cada personagem: a compra da casa por Chandler e Mônica, o casamento de Phoebe e Mike, a morte de Stella (que leva Joey a pensar em mudar para Hollywood) e o retorno do sentimento entre Rachel e Ross. Certamente esta temporada foi feita muito mais ara chorar do que para rir, no que foi muito eficiente, pelo menos comigo.

As participações especiais na série foram tantas e tão boas que resolvi apenas fazer um top 10 das minhas preferidas:

10. Robin Williams e Billy Crystal -uma pontinha, de improviso, uma esquete pequena sem ligação alguma com a trama do episódio, mas muito boa.

09. Charlie Sheen – um dos vários namorados de Phoebe. Ele interpretou um marinheiro que vive em um submarino, saindo de tempos em tempos. Quando ele sai, ela vai se encontrar com ele. O problema é que justo na semana que ele vai visita-la, ela pega catapora. Ele não liga em ficar doente porque está muito apaixonado. As cenas dos dois tentando não se coçar são hilárias.

Continue lendo →