Memórias da Emília e Peter Pan, de Monteiro Lobato

Memórias de Emília e Peter Pan, Monteiro LobatoO universo infantil criado por Monteiro Lobato é referência para muitas pessoas. Para os que viveram a infância nas décadas de 1980 e 1990 a série do Sítio do Pica Pau Amarelo ainda está na lembrança. Para os mais novos, a Globo tratou de fazer uma nova versão do programa que trouxe esse universo mágico para os mais novos. E como muitos, meu conhecimento das obras infantis de Monteiro Lobato vieram da televisão. Até meus 16 anos eu nunca tinha lido nenhuma obra do escritor, então comecei a fazer hora do conto para os alunos da quarta série na escola em que estudava e contei algumas das histórias de Dona Benta. Depois disso só voltei a ler algo do senhor Lobato agora em 2011. E é muito interessante ler um livro infantil escrito há tantos anos: a idade faz com que prestemos atenção em coisas que  quando crianças deixaríamos de lado. No entanto, o mundo criado por Lobato é tao encantador que é impossível nao se envolver de corpo e alma e voltar a ser criança.

A edição que tenho é da coleção Obras Completas de Monteiro Lobato onde  a 1ª série contém os livros de Literatura Geral (18 volumes) e a 2ª série contém os livros de Literatura Infantil (17 volumes).  Memórias da Emília e Peter Pan é o quinto volume da 2ª série, em uma edição de 1952. Apesar da ortografa diferente (acentos entre outras coisas), nao tive dificuldades com a leitura. Pelo contrário, tal característica deu um charme a mais para a leitura. O livro consiste, na verdade, em duas histórias distintas: Memórias De Emília é um livro e Peter Pan é outro, embora Peter apareça nas duas histórias.

Em Memórias de Emília, Lobato narra mais uma reinação de Emília. A boneca resolve escrever suas memórias e para isso usa a mão e a cabeça do Visconde de Sabugosa. Então temos uma narração dentro da narraçao: o sabugo de milho narra as aventuras de Emília e a turma o sítio no episódio do anjo capturado pela boneca e da visita das crianças inglesas para vê-lo. Emília começa ditando para o Viconde, mas acaba deixando tudo por conta de seu “ajudante”. As “participações especiais” de Peter Pan e Alice – a do País das Maravilhas – são fantásticas. O livro é bastante simples e ingênuo, mas apesar disso, muito instigante. Emília é terrível, apronta e fala coisas que deixam todos loucos, mas acaba se mostrando uma boa boneca. É uma personagem cativante, e mesmo com todas as suas contradições, é minha personagem favorita.

Peter Pan é a história original do personagem Peter Pan contada para os moradores do sítio por Dona Benta. Ela compra o livro de J. M. Barrie para descobrir quem é o menino que até o Gato Félix sabe da existência, menos ela e os habitantes do sítio. Depois de ler a história, Dona Benta passa a contar um pedacinho por noite para todos. E entre um pedaço e outro, Emília apronta das suas, é claro. É muito bacana ver personagens que já estao no imaginário das crianças brasileiras sendo contados por outros que fazem parte de nosso folclore. Além disso, as referências à história original é feita a todo momento, portanto a história não é um plágio da obra original, é sim uma contação de Dona Benta, com gostinho de Brasil interiorano.

Read More

Novidades de ano novo

In My Mailbox

O trecos & trapos começa 2011 com uma porção de novidades. Tem a nova coluna Na Minha Caixa de Correio, que começou na última semana de 2010 e já teve duas edições nesse ano. Aos domingos publico um vídeo contando sobre os livros e DVDs que ganho ou compro.

Ontem não teve vídeo, pois não comprei ou ganhei nada durante a semana, e nas próximas duas semanas também não publicarei os vídeos, pois estarei viajando.

Mas na volta farei uma edição especial com todas as aquisições da viagem – que serão significativas, pois em Buenos Aires os livros são mais baratos.

Book Tour

Outra novidade é a parceria com a Editora Underworld. Na semana passada a editora abriu inscrições para novos blogs parceiros para participarem de Book Tours com suas publicações e não perdi tempo e fiz minha inscrição.

Fui selecionada e fiquei no grupo 4. Nas próximas semanas receberei um exemplar de um livro para ler, resenhar e enviar para uma das outras blogueiras do meu grupo do Book Tour.

Os blogs que participam do grupo quatro são:

  1. My Everything
  2. Loge Demais
  3. Melancólico Mundo
  4. Aqui Perto de Mim
  5. Trecos & Trapos
  6. Tijolinha, Books & Fanfics
  7. Ops!
  8. The Eaters of Books
  9. Tea Coffe and Cupcakes
  10. Janine Stecanella
  11. Coolture News
  12. Kellen Baesso
  13. Acordei com Vontade de Ler
  14. Sobre Amores e Livros
  15. Shelf Junkies
  16. Manuelices
  17. London Sweet London
  18. Murphy’s Library
  19. Okay Cult
  20. Fútil mas inteligente

Estou ansiosa para receber as publicações, os títulos são bem atrativos.

E em breve mais novidades virão.

http://trecosetrapos.org/weblog/tag/na-minha-caixa-de-correio/

A menina que brincava com fogo, Stieg Larsson

A menina que brincava com fogo, Stieg Larsson

Para dar continuidade à leitura da Trilogia Millennium, li o segundo livro da série: A menina que brincava com fogo. A expectativa era grande, tendo em vista o quanto gostei do primeiro livro. E eu gostei muito desse também.

Dois anos depois dos acontecimentos traumáticos narrados em Os Homens que não amavam as mulheres, a revista Millenium encontra um novo colaborador que está prester a publicar um artigo e um livro sobre o tráfico de mulheres. Esse colaborador e sua companheira pesquisam o tema há anos e procuram a revista para publicar e denunciar os envolvidos – que vão desde policias do serviço secreto sueco à jornalistas conhecidos.

Somos apresentados aos novos personagens na primeira parte do livro enquanto a rotina no exterior da protagonista Lisbeth Salander é narrada também. Muito embora Larsson demore bastante para engrenar o cenário no qual o desenrolar a história se passará (quase 200 páginas), essa primeira parte do livro é deliciosa e conseguiu me prender por horas a fio. E o cenário é bastante complicado. Dag Svenson e Mia Bergman são assassinados no apartamento em que moravam e a suspeita recai sobre Lisbeth. A situação para ela piora ainda mais quando seu tutor também é encontrado morto.

Mikail e Lisbeth não se viam desde os eventos na Ilha de Hedeby. Ele acredita na inocência da mulher que outrora salvou sua vida e resolve realizar uma investigação paralela ao cerco que a polícia montou para prendê-la. Acontece que Salander não é uma mulher fácil de ser localizada e é muito mais inteligente do que seus perseguidores.

Entretanto, uma das melhores coisas do primeiro livro se perde na narrativa: o mistério em torno de Salander. Todo o passado da heroína é desvendado, pois mesmo que Mikail acredite na inocência dela, Lisbeth está envolvida com tudo o que aconteceu. Mesmo que eu já soubesse o desfecho da história quando li (afinal, eu já tinha visto o filme, que é fantástico, por sinal) eu não contarei se ela é inocente ou não.

Mesmo que a vida de Salander seja destrinchada com as pesquisas que Mikail, a polícia e ela mesma fazem para desvendar o mistério dos assassinatos, a personagem desaparece da narrativa por um bom trecho na metade do livro. Esse sumiço compromete um pouco a história, afinal ela é a minha personagem preferida e eu fiquei o tempo todo muito curiosa para saber o que Lisbeth andava aprontado no seu esconderijo.

A citação que eu destaco do livro é a seguinte:

 Lisbeth Salander era a mulher que odiava os homens que não gostavam de mulheres. (p.560)

Apesar desses dois problemas (a enrolação inicial e o sumiço da protagonista – acompanhada do fim do mistério que a cercava) o livro é muito bom, me cativou desde o princípio e a melhor definição para minha leitura é o verbo devorar. Eu devorei as 608 páginas em três dias e com muita excitação.

A menina que brincava com fogo
Trilogia Millennium Volume 2
Autor: Stieg Larsson
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 608
Compre: Submarino
[xrr rating=5/5]

O sabor nas telas

Eu adoro tudo o que diz respeito a culinária. De comer a preparar receitas diferentes. E gosto muito de ler livros de receitas ou histórias relacionadas a comida. E esse gosto é válido também para o cinema. Fiz uma pequena lista de filmes que se passam na cozinha, e que dão vontade de sair cozinhando ou, melhor ainda, comendo.

Os que pretendo ver em breve:

A Festa de Babette (1987)
Babettes gæstebud; Dir: Gabriel Axel

Duas irmãs dinamarquesas dão abrigo a uma refugiada francesa que, depois de descobrir que ganhou na loteria, prepara um banquete com os pratos e as bebidas mais tradicionais da culinária francesa.

O Tempero da Vida (2003)
Politiki kouzina; Dir: Tassos Boulmetis

Um menino em uma família dividida entre a Turquia e a Grécia resolve virar cozinheiro para homenagear seu avô, um filósofo da culinária.

Os que já vi:

Chocolate (2000)
Chocolat; Dir: Lasse Hallström

Um mulher chega a uma pequena cidade francesa e abre uma loja de chocolates. As iguarias causam imenso impacto na conservadora comunidade.

Como Água Para Chocolate (1992)
Como agua para chocolate; Dir: Alfonso Arau

Baseado no livro homônimo da autora Laura Esquivel, narra a história de um camponês que, em plena Revolução Mexicana, se apaixona por Titi. Ele quer voltar para a guerra, mas ela o enfeitiça com seus dotes culinários e seu amor.

Os meus preferidos:

Ratatouille (2007)
Dir: Brad BirdJan Pinkava

Remy é um rato que sonha se tornar um grande chef. Só que sua família é contra a idéia, além do fato de sempre ser expulso das cozinhas que visita. Um dia, enquanto estava nos esgotos, ele fica bem embaixo do famoso restaurante de seu herói culinário, Auguste Gusteau. Ele decide visitar a cozinha do lugar e lá conhece Linguini, um atrapalhado ajudante que não sabe cozinhar e precisa manter o emprego a qualquer custo. Remy e Linguini realizam uma parceria um tanto inesperada.

Ratatouille

Julie & Julia (2009)
Dir: Nora Ephron

Baseado nos livros de Julie Powell (homônimo ao filme, que por sua vez se originou do blog da autora) e Julia Child (My Life in France, autobiográfico). Julie resolve testar as 524 receitas de culinária francesa do livro Mastering the Art of French Cooking da famosa cozinheira Julia Child. O filme brinca com as histórias de vida dessas duas mulheres apaixonadas pela cozinha.

Julie & Julia

E então, gostou da lista? Tem mais alguma dica de filme que te ceixa com água na boca? Compartilhe através dos comentários. Eu vou ali preparar alguma coisa bem gostosa para comer…