Arquivo

janeiro 2012

Posts em janeiro 2012.

[LANÇAMENTOS] Editora Dracaena

Tem livro saindo do forno na Editora Dracaena:

Oldar- Guerra da traição

Oldar – Guerra da traição 
Autor: Rondinelli Fortalesa
Gênero: Romance, Ficção
ISBN: 9788564469655
Páginas: 216
CompreLivraria Cultura | Livraria Travessa | Livraria Saraiva

A história de Oldar é sobre um mundo muito antigo, ainda em seu início, quando os povos começavam a conhecer uns aos outros e tinham seus primeiros conflitos motivados por paixões humanas e até sobrenaturais. A primeira narrativa de Oldar inicia no país do continente Oeste conhecido como Edammael, onde vivem os Dans. O governo fora estabelecido no início dos tempos como reinado, onde um homem governa sozinho o destino do povo. Uma traição causa a primeira guerra do reino de Edammael, que fica dividido entre norte e sul. Os dois reinos entram em conflito e apenas um deles consegue dominar todo o país novamente tornando-se o rei único. O perdedor nunca esquece daquilo lhe aconteceu e por vários anos planeja sua vingança contra o irmão que lhe tomara o poder no reino. O novo rei, filho do anterior, vai em busca de seu tio que fora expulso na tentativa de juntar novamente a família. Ele descobrirá que esse sonho será mais difícil de se realizar do que ele imagina.

Naturalmente saudávelNaturalmente saudável
Autor: Celso Zymon
Gênero: Saúde
ISBN: 9788564469566
Páginas: 196
Compre: Livraria Cultura | Loja Singular | Dracaena

Um dos poucos livros que explicam de forma simples e direta o porquê da necessidade de mudar nossos hábitos. A saúde é uma questão cultural e não somente medicinal, na realidade é muito mais pertinente a cultura do que a cuidados médicos. Filosofia, ciência, arte, política, hábitos de vida, mente e espiritualidade, tudo isso deve ser analisado conjuntamente para que haja uma vida saudável em todos os aspectos que consiste a vida humana, porém é justamente por ignorar esses fatos que a humanidade ainda continua doente. Um livro simples, direto que vai deixar você querendo sinceramente adentrar cada vez mais no maravilhoso mundo naturalmente saudável.

E a Editora Dracaena também divulgou algumas fotos do lançamento de Contos de Meigan, em Belém e Demoníaco, em Itajaí.


Mr. Postman #28

Bem vind@ ao Mr. Postman!

Esse é um meme criado pela Kristi, do The Story Siren, no qual mostrarei tudo o que recebi, comprei ou ganhei durante a semana.

O primeiro vídeo do ano!!! Mais uma vez eu desejo um ótimo 2012, cheio de boas leituras e bons momentos. Espero que gostem do vídeo, ficou meio corrido e sem uma despedida decente, mas foi feito com muito carinho. Deixe seu comentário com sugestões, dicas e otras cositas más, que são sempre bem vindos e faça essa blogueira muito feliz.:)

Link Direto

Trocas:

O Senhor Embaixador, de Erico Verissimo
Bombons Chineses, de Mian-Mian

Compras:

Julie & Julia, de Julie Powel
Leite Derramado, de Chico Buarque
Fim da Eternidade, de Isaac Asimov

O Continente vol. 1 (O Tempo e o Vento #1), de Erico Verissimo

O Continente, volume 1, de Erico Verissimo

O primeiro volume de O Continente é a abertura da obra prima de Erico Verissimo, O Tempo e o Vento (publicado em três romances: O Continente, O Retrato e O Arquipélago – os dois primeiros possuem dois volumes, enquanto o terceiro foi dividido em três). Publicado em 1949, a intenção de Erico era escrever apenas O Continente, mas a história tão grandiosa da saga familiar que é também um microcosmo da História do Rio Grande do Sul pedia mais. E Erico nos deu de presente, alguns anos mais tarde, os dois volumes de O Retrato e os três volumes de O Arquipélago.

Reeditado inúmeras vezes pela Editora Globo, hoje as obras de Erico são publicadas pela magnífica Companhia das Letras. E eu tive o prazer de ler na primeira e segunda vez, há muitos anos, essa primeira parte de O Tempo e o Vento numa publicação da editora Globo e agora li numa edição linda que integra o box de O Tempo e o Vento da Companhia das Letras. E nas três vezes que li fiquei encantada com cada palavra que Erico escreveu.

É muito difícil escrever resenha de um livro como esse, tão bom, tão clássico, tão importante. Eu só tenho elogios. Mas vamos lá. Por que esse livro é muito bom? Em primeiro lugar por conta da história que é narrada. O Continente fala das origens do processo de formação do estado do Rio Grande do Sul, da formação do povo gaúcho. E para isso Erico criou um romance histórico perfeito, que mistura sua ficção tão bem trabalhada com dados e personagens históricos que são integrados ao enredo de tal forma que é natural pensar que aquilo tudo realmente aconteceu. É um romance, e também uma aula de História. E que aula. Confesso que eu não sou muito conhecedora da História de meu próprio Estado – uma vergonha, eu sei, tanto por ter nascido e vivido a vida toda aqui, quanto por ser formada em História – mas muito do que aprendi sobre ela veio da literatura e em especial desse livro (e do segundo volume também, é claro). E é uma ótima maneira de entender os processos que levaram o povo gaúcho a ser da maneira que é.  Continue lendo →

Novidades da Editora Dracaena

Contos de Meigan

Entrevista no programa ”Sem censura Pará” com Roberta Spindler e Oriana Comesanha, autoras do livro Contos de Meigan, NOVO LANÇAMENTO DA Editora Dracaena.

Assista:

Parte 1


Link direto para o vídeo no youtube 

Parte 2


Link direto para o vídeo no youtube

E na quarta-feia, dia 18 de janeiro ocorrerá o evento de lançamento do livro Contos de Meigan. A editora Dracaena convida a todos.

Lançamento: O Vale das Borboletas

Autor: Amanda Vieira
Gênero: Romance, Ficção
ISBN: 9788564469563
Nº de páginas: 256
Onde Comprar: Travessa | Siciliano | Saraiva | Loja da Dracaena

Sinopse: Quando Heitor se muda para Crisálida, depois de escapar de perseguições enigmáticas em São Paulo, a vida de Maria Luisa também é afetada de forma inesperada. Isa, como ela prefere ser chamada, acaba por se envolver pelo seu misterioso primo que passa a frequentar a mesma escola onde estuda. Um amor de tirar o fôlego, uma aventura impressionante, cercada pelos mistérios do desaparecimento da fortuna de um pintor de borboletas. Ele tenta protegê-la, ela coloca a sua vida em risco, uma perigosa paixão com um final que somente um detetive sagaz poderia imaginar. Isa decide então confrontar o seu perseguidor, sozinha, com o coração na garganta e um tesouro em mãos. Do alto do morro do Vale das Borboletas ninguém poderá escutar o seu grito de socorro.

Lançamentos com Frete Grátis para todo o Brasil

Para comprar acesse: www.dracaena.com.br

Links Love #12

Tolkien e as mulheres

1. No blogueiras feministas tem um texto muito bom sobre  tipos femininos que se encontram e se distanciam, e que não são negativos nem ultrajantes na obra de Tolkien.

2.  Imagens de viajantes no tempo em discussão no Ceticismo Aberto.

3. O meu amigo e Historiador Chico Cougo escreveu um dossiê sobre a RBS e o jornalismo surreal.

4. Interessado em aprender Quenya, a maravilhosa língua dos elfos criada por Tolkien? A Feanari do Blá blá blá Aleatório conta como.

5. E o @cavalca fez um top 11 melhores séries de 2011. Super bacana.

Unfortunately, I can never read all the books I want.

Imagem por 28foxes | Tumblr

“I can never read all the books I want; I can never be all the people I want and live all the lives I want. I can never train myself in all the skills I want. And why do I want? I want to live and feel all the shades, tones and variations of mental and physical experience possible in life. And I am horribly limited.”
>> Sylvia Plath

Precisamos falar sobre o Kevin, de Lionel Shriver

Precisamos falar sobre o KevinO ano está no início, portanto ainda é cedo para dizer que Precisamos falar sobre o Kevin está entre os melhores livros lidos do ano. Mas mesmo assim vou arriscar. Na verdade, eu não sei por onde começar a escrever sobre esse livro. É um livro perturbador? Aterrorizante? Triste? Brilhante? Ou tudo isso junto? O enredo, a narrativa, o texto e os personagens se entrelaçam e deixam o leitor estupefato, estarrecido. Pelo menos não consigo pensar em adjetivos melhores para definir como eu fiquei logo no início da leitura.

Este é um livro epistolar, ou seja, a narrativa ocorre em formato de cartas. Uma sucessão delas, escritas por Eva Khatchadourian, uma mãe da classe média dos Estados Unidos descendente de armênios, viajante, dona de uma editora de livros de viagem, que tem um gosto pela liberdade, casada com um americano típico que é o destinatário de sua correspondência. Sobre o que ela fala? Sobre Kevin, obviamente. Kevin Khatchadourian é seu filho e ele cometeu um massacre na sua escola dois anos antes de Eva começar sua correspondência. Cada capítulo é uma carta escrita por ela, na qual ela narra o antes e o depois do nascimento de seu filho e as consequência dos atos do adolescente.

As 100 primeiras páginas, mais ou menos, têm um ritmo mais lento, as cartas são sobre a sua vida, o dia-a-dia no casamento e também uma ponderação sobre a situação do casamento antes do nascimento do filho. Até a decisão de ter um filho é analisada, e nesse ponto eu criei um laço de simpatia para com Eva. Ela tem dúvidas sobre a maternidade, e decide ter um filho por uma série de motivos errados, a começar pelo fato de que ela está seguindo apenas a vontade do marido. Já na gravidez um conflito entre ela e o cônjuge começa a se desenhar. Ela se sente propriedade de alguém, coisa que nunca sentiu antes: desde quando grávidas são propriedade de alguém? Ela se pergunta. Ela, enquanto grávida, se sente propriedade do marido, do obstetra, de todos, que sempre opinam sobre o que ela deve e não deve fazer devido a sua condição.

Com o nascimento do filho, a narrativa começa, agora sim, a ser All About Kevin.  E sobre a maternidade, consequentemente. E o ritmo começa a ser ditado por Kevin, pelos seus atos e também pelas dúvidas, medos, negligências e conflitos internos e externos de Eva com o filho e com o marido. Aos poucos ela vai contando para o marido tudo aquilo que ele não viu e não queria ver no filho. Todas as diabruras infantis que ele aprontou que foram aos poucos se tornando intervenções cruéis na vida dos outros e da própria família. Ela narra o passado e também o presente, fala sobre como ela se sente dois anos depois da tragédia, sobre como as pessoas a trataram depois de tudo o que aconteceu, fala sobre as visitas ao filho no centro de detenção para menores, fala sobre como ele não se arrepende e sobre como ele até sente orgulho do que fez, do quanto ele continua uma incógnita para ela, mesmo depois de quase 18 anos de seu nascimento.

Precisamos falar sobre o Kevin é um livro escrito depois dos episódios de Columbine, e trata de uma tragédia nacional. A narrativa se passa mais ou menos durante as eleições presidenciais de 2000 nos Estados Unidos, mas esse evento é apenas um pano de fundo para as cartas de Eva, ela comenta algumas coisas sobre o que está acontecendo nas eleições, mas qualquer coisa é irrelevante é quando sua família foi destruída pelos eventos daquela “quinta”. E o capítulo onde acontecimentos de “Quinta” são descritos é aterrorizante. Continue lendo →