Zumbis: blog temático e livro

Ainda não contei por aqui, mas desde 2010 eu e a Anica, do Hellfire Club, estamos com um blog novo chamado Ministry of Zombie Walk. Um blog temático sobre zumbis. Eu estava com vontade de criar um blog apenas sobre zumbis há bastante tempo, mas nunca tinha tempo. Um dia twittei algo como: Há tempos tenho vontade de criar um blog sobre zumbis, hoje em dia já não é mais novidade.

A Anica respondeu que sentia o mesmo e combinamos de criar o tal blog. Conversa vai, conversa vem, nasceu o MOZW! Não deixe de visitar e deixar seu comentário.

MOZW - Ministry of Zombie Walk

E a seguir o post mais recente que publiquei por lá:

A Editora Barba Negra está promovendo uma semana zumbi por ocasião do lançamento do livro Zumbis – o livro dos mortos, do jornalista Jamie Russell, no qual o autor se propôs a analisar os filmes do gênero desde seus primórdios. São mais de 400 páginas fartamente ilustradas.

O autor nasceu nos EUA, em 1974. Sua paixão por zumbis remonta a adolescência, então nos anos 80’s. Russell começou sua pesquisa acerca do tema oficialmente em 2000, e a primeira edição de  Zumbis: The Book of the Dead é de 2005. E ele a ideia de que os zumbis são utiliados como metáforas para os medos e problemas socias em épocas distintas é utilizada por ele.

Já a edição brasileira – com tradução de Érico Assis e Marcelo Andreani de Almeida – traz um capítulo extra, escrito por Antônio Tibau. Nesse capítulo Tibau incluiu a produção brasileira do gênero.

Esse livro é leitura obrigatória para todos os amantes dos mostos vivos, comedores de carne. Veja o booktrailer:

[youtube1]MoUSMes1JhA[/youtube1]

Um Brinde ao Professor Tolkien no seu 119º Aniversário

Tolkien

Há 119 anos, no dia 3 de Janeiro de 1892, nascia Tolkien em Bloemfontein, na Africa do Sul.

Para celebrar esse evento, neste dia os fãs de Tolkien ao redor do mundo são convidados a levantar seus copos e brindar ao aniversário deste nosso tão amado autor.

O brinde é “Ao Professor”.

Para os não familiarizados com o cerimonial britânico para brindes:

Para fazer o brinde de aniversário, levante-se, erga um copo com sua escolha de bebida (não necessariamente alcoólica), e diga as palavras “Ao Professor” antes de dar um gole (ou virar, se isso é mais apropriado com sua bebida). Sente-se e aproveite o resto da bebida.

Aqueles que aderirem à celebração podem deixar registradas suas participações no site da Tolkien Society.

Então, hoje às nove da noite brindarei ao mestre. Quem quiser, pode me acompanhar.

Eu mudei para o Ubuntu e não me arrependo!

Ubuntu

A vontade de mudar de sistema operacional já era bem antiga, mas faltava coragem. Mesmo depois de um bate papo com a Bruna (@griebeler) no Luluzinha Camp ano passado, quando ela me esclareceu diversas dúvidas, eu continuei com medo de encarar a mudança. Sempre soube das vantagens do Software Livre em relação ao Windows, no entanto, continuei usando e xingando o tal sistema operacional do milionário Bill Gates.

Enquanto eu escrevia meu trabalho de conclusão da graduação eu utilizava o Word 2007, Windows XP e muita paciência. Mas a gota d’água veio em plena confecção do trabalho. De uma hora para outra o computador travou, não funcionava nada. Não bastava reiniciar insistentemente, como fiz outras vezes. Dessa vez não tinha tempo para mandar arrumar. A solução? Finalmente resolvi instalar uma distribuição Linux. Optei pelo Ubuntu, que já havia testado com o CD de instalação (sim, é possível testá-lo sem instalar).

Baixei a versão mais nova, o 10.10. Instalei e superei todos os medos. Quais eram? Bom, em primeiro lugar pensava que para utilizar minha internet eu teria muito, mas muito trabalho. Não. A Mi Müller me ajudou muito pelo twitter. Outro medo era os programas. São fáceis de instalar? São fáceis de navegar? Há variedade? Sim, sim e sim.

São muitas as vantagens de mudar para o Linux. Basta escolher uma das distribuições, instalar e desfrutar delas. Mais seguro, navegação intuitiva – precisar entender de códigos e dominar programação para trabalhar com Linux é um mito. Para saber mais acesse as diversas páginas especializadas em Software Livre, Linux e suas distribuições.

Para mudar é fácil, basta baixar gratuitamente ou solicitar um CD de instalação. Talvez essa seja a maior vantagem do Linux: totalmente de graça!

Feliz aniversário Super Mario

Eu sou muito fã de Super Mario (e quem não é?). Para mim o melhor de todos é o Super Mario World sem sombra de dúvidas. Jogo até hoje.

Nunca tive um Super Nintendo – grande frustração da minha infância – mas a internet salvou minha vida e posso jogar todos os jogos a hora que quiser no PC, e Super Mario World está ao lado de Zelda a Link to the Past no topo dos mais jogados.

Em homenagem ao bigodudo e aos seus 25 anos de história, um vídeo super bacana produzido pela Nintendo dos EUA:

[youtube1]cD825b4k0o0[/youtube1]

Retorno

Voltando a programação normal. Depois de muito tempo sem dar as caras, ou de meter esses dedos gorduchos no teclado para escrever alguma coisa por aqui, eu resolvi que já era a hora de voltar.

Não por nada, mas estava com saudade de pintar o sete e deixar o pensamento fluir. Não cumpri promessas. Falta terminar de escrever sobre a amada série Dollhouse que terminou e me deixou órfã de mais uma obra de liciosa de Joss Whedon. Faltou escrever sobre tanta coisa.

O que eu fiz durante esse tempo todo? Buenas, nada de muito útil, exceto pelas leituras (que estão bem atrasadas, por sinal). Viciei no Farmville e passo horas alimentadno animais de pixels e plantando sementes de metirinha. Além disso cozinhei comidas virtuais em outro joguinho bobo do Facebook ( se você quiser, pode me adicionar como amiga por lá). E também comecei a ver Seinfeld e Buffy. Adoro ver séries antigas, principalmente ao lado do Juliano.

Vancouver 2010 – Mascotes

E também olhei muito para o tubo da TV. Estou acompanhando com um entusiamo bem acentuado as transmissões do canal do bispo das Olímpiadas de Inverno – Vancouver 2010. Por que? Não sei bem. Curiosidade pelos esportes malucos que os Canadenses adoram (Curling? WTF!) e uma profunda admiração pela patinação artística, pela leveza e destreza sobre o gelo. Confesso que é essa minha modalidade preferida. Me irrito quando a transmissão é cortada para passar outras modalidades – que é aquilo do pessoal descendo em duplas de trenó, deitados um por cima do outro? Socorro.

Voltando à patinação no gelo. Que esporte lindo, o nome faz juz a modalidade. É realmente uma arte. E as escolhas musicais dos atletas direcionaram as aquisições musicais na rede durante toda a semana.

Mas o que eu mais gostei nos Jogos Olímpicos de Inverno foi o inverno. Não lembro de ter passado tanto calor em toda a minha vida. Temperaturas bem acima dos quarenta graus em pleno sul do país. Isso é inaceitável. Mexeu com minha capacidade intelectual – eu simplesmente não consigo pensar direito nem articular idéias nesse #fornoalegre. Sinto saudade dos dias frios, muita saudade.