Ficção de Polpa – Volume 1

Ficção de Polpa Volume 1

No primeiro volume do Ficção de Polpa da Não Editora vários escritores brasileiros foram convidados para formar a coletânea com a proposta de criar um conto de ficção científica, fantasia ou horror com completa liberdade temática. A ideia é super bacana, tanto que já rendeu quatro volumes da coleção. Mas até agora eu li apenas o primeiro, e posso falar que a ideia, além de bacana, deu super certo.

Fiquei muito surpresa com a qualidade dos contos. Todos muito bons. Claro que alguns se destacam, são incríveis e deixaram aguçada a vontade de ler mais coisas dos seus autores. E o mais bacana de tudo foi que todos os autores aproveitaram a liberdade para criar e conseguiram mesclar essa tradição atribuída aos norte americanos de criar terror e fantasia (o que eles fazem muito bem, sem sombra de dúvidas) com uma brasilidade que não parecia forçada.

Os contos fluíam muito bem, e não foi preciso inserir elementos fantásticos da cultura brasileira como o Saci Pererê ou a Mula Sem Cabeça para que eles fossem genuinamente brasileiros. A prosa se encarregou de tudo. Ficou claro que ficção feita no Brasil não precisa ser uma forma de apresentar o Brasil. Os autores souberam usar a prosa em favor do conto e não para mostrar que, bem, esse é um conto de ficção fantástico feito no Brasil.

O Brasil estava sim presente nos cenários ou em pequenos detalhes dos contos (uma rua, uma cidade, um traço cultural), mas isso não se tornava mais importante do que a narrativa. Ponto positivo para os autores. Além disso, os contos mostraram para o que vieram. Cada uma à sua maneira mostrou a pitada certa de horror, fantasia e ficção científica, apesar de na maioria das vezes a veia do horror falar mais forte. O que de modo nenhum é ruim, pois eu adoro todos os três gêneros e tenho uma queda toda especial pelo horror.

Seria muito bacana falar sobre cada conto, mas aí perderia a graça para o futuro leitor (sim, eu realmente espero que tu leia o livro!). Vou apenas dizer que ler cada conto despertou emoções diversas e elas foram sempre bem intensas. E isso é mais uma prova da qualidade dos contos e, portanto, da coletânea. Além disso, tem uma faixa bônus pra lá de especial: um conto maravilhoso de H. P. Lovecraft. E um livro que tem monstros, zumbis, psicopatas, cães assassinos, cogumelos (!) assassinos, explosões de arroz, mutantes e outras criaturas horripilantes só pode ser bom!

Ficção de Polpa – Volume 1
Samir Machado de Machado (org.)
Não Editora
128 páginas
SkoobGoodreads
[xrr rating=4/5]

Desafio Literário 2011

Esse texto faz parte do projeto de blogagem coletiva Desafio Literário 2011, proposto pelo blog Romance Gracinha. A resenha corresponde ao mês de Novembro (atrasada de novo, eu sei), cujo objetivo é ler um livro de contos.

Confira no blog do desafio as resenhas dos outros participantes para este mês. Ou descubra quais foram as minhas escolhas.

Participe, comente, leia.

Gostou da ideia? Siga o @DL_2011 no twitter.

Aproveita e segue a equipe do Desafio Literário 2011 no twitter também:

@vivi, @danihaendchen, @queromorarlivr e eu, @clandestini.

Confira as outras leituras feitas para o Desafio Literário 2011:

Janeiro:
Coraline, Neil Gaiman
Memórias da Emília e Peter Pan, de Monteiro Lobato

Fevereiro
Che Guevara – a vida em vermelho, de Jorge G. Castañeda
O que é isso, companheiro?, de Fernando Gabeira

Março
As Brumas De Avalon Livro 1 – A Senhora Da Magia, de Marion Zimmer Bradley
As Brumas De Avalon Livro 2 – A Grande Rainha, de Marion Zimmer Bradley

Abril
O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams
O Restaurante no Fim do Universo, de Douglas Adams
A Vida, o Universo e Tudo Mais, de Douglas Adams
Até mais, e obrigado pelos peixes!, de Douglas Adams
Praticamente Inofensiva, de Douglas Adams

Maio
A Última Trincheira, de Fábio Pannunzio
Esqueleto na lagoa verde, de Antonio Callado

Junho
Calabar – o elogio da traição, de Chico Buarque Ruy Guerra
Gota D’água, Chico Buarque e Paulo Pontes
As Relações Naturias: três comédias, Qorpo Santo

Julho
Nunca fui a garota papo-firme que o Roberto falou, de Cristiane Lisbôa
Areia nos Dentes, de Antônio Xerxenesky
elvis & madona [uma novela lilás], de Luiz Biajoni

Agosto
Olhai os lírios do campo, de Erico Veríssimo
Morte e vida severina e outros poemas para vozes, de João Cabral de Melo Neto
Contos Gauchescos & Lendas do Sul, de Simões Lopes Neto

Setembro
Todas as Histórias do Analista de Bagé, de Luis Fernando Veríssimo

Outubro
O Sol Também se Levanta, de Ernest Hemingway

Deixe um comentário pelo Facebook

2 comments / Add your comment below

Deixe uma resposta

CommentLuv badge

%d blogueiros gostam disto: