Estante nova no pedaço

Não consigo lembrar em que ano comprei minha primeira estante, daquelas bem simplesinhas, amarela, tinha até um tamanho bem bom. Por anos ela foi filha única de mãe soteira. Lembro que eu não tinha vinte anos ainda (ah, como o tempo passa). Ela era a parte mais importante do meu quarto, porque nela eu guardava as coisas mais preciosas da minha vida: meus livros. Poucos no começo, mas aumentando lentamente.

Então, dois anos atrás eu finalmente tinha meu próprio apartamento e MUITOS livros a mais. Comecei a me apossar das estantes do namorado e enchi três delas em um piscar de olhos. Acontece que mesmo essas três já não eram suficientes e as coisas começaram a ficar um pouco bagunçadas, depois muito bagunçadas. A ideia de ter um home office, com uma estante linda foi saindo da cabeça e indo para o papel. O projeto estava lá, só faltava dinheiro para colocar em prática.

No final do ano passado o passo maior foi dado e encomendamos a estante e uma mesa de trabalho, do jeitinho que eu sempre sonhei. Ela demorou para ficar pronta (mais do que o que constava no contrato, mas tudo bem), e quando ela ficou pronta nós estávamos viajando. Somente uma semana depois de voltarmos de viagem ela foi instalada. E está arrasando desde então. Foram dois meses e meio de espera desde o dia que assinamos o contrato da encomenda, mas valeu toda a espera.

Mas chega de falar sobre a estante dos sonhos, vamos ver juntos como ela ficou?

Estante em processoE eu ainda resolvi gravar um mini tour pela estante nova e postar lá no canal do blog no youtube Também renascido das cinzas. Confere aí:

Se você não estiver visualizando, assista direto no vídeo no youtube. Não esqueça de comentar 🙂

Como escolho minhas leituras?

Minha estante em março de 2011

O certo é que um livro leva a outro…

Às vezes estou lendo um livro tão bom que procuro outros títulos do mesmo autor ou do mesmo gênero, e se fizer parte de uma série eu leio as obras subsequentes. Esse é o movimento básico que faço para escolher as próximas leituras. No entanto, eu tenho outro critério muito importante: sempre procuro ler aquilo que tenho na minha estante, pois sofro da síndrome dos compulsivos por livros e acabo comprando muito mais do que dou conta de ler.

Por ainda estar cursando uma graduação, muito da minha leitura vem das indicações/solicitações dos professores. E, além disso, procuro pelos clássicos, aquelas obras consideradas essenciais na formação de todo leitor. Estas duas últimas condições de escolha se aplicam também na compra de novos exemplares para minha humilde biblioteca. Claro que sempre há exceções.

Nos últimos dois anos tenho adotado um sistema bem interessante, o Desafio Literário. Ele funciona como uma espécie de meme entre blogueiros com uma lista de 12 temas, um por mês, para escolhermos um ou mais livros em cada categoria e lermos ao longo do ano. Opto por encaixar as leituras pendentes da minha biblioteca com os temas sugeridos, dessa forma diminuo a fila de livros comprados e não lidos.

A verdade é que escolher o próximo livro para ler não é uma ciência exata, e o faço de diversas maneiras, como já descrevi. Creio que muitas pessoas possuam métodos para suas escolhas, alguns até bem elaborados. Mas eu, particularmente, prefiro me deixar levar. Afinal, se um livro leva a outro, eu gosto de escutar o que ele pode me indicar.

E tu? Como escolhe as próximas leituras?