Links Love #8

Turma do Chaves

1. Eu, e milhões de brasileiros, mexicanos e outros latino americanos, crescemos acompanhados de uma turma muito bacana que morava em uma vila lá no México. Chaves, Chiquinha, Seu Madruga, Dona Florinda, a Bruxa do 71 e outros personagens inesquecíveis fizeram parte da minha infância e lá no Teleséries tem um texto muito bacana sobre os 40 anos de Chaves.

2. A Anica do Heelfire Club resenhou o livro Boemia literária e revolução: O submundo das letras no Antigo do historiador Robert Darnton e eu como Historiadora adorei o texto dela.

3. Eu fiquei encantada com esse boxset dos Doutores da série britânica, que eu AMO, Doctor Who.

4. Mais de Doctor Who: no Série Maníacos tem algumas curiosidades sobre a série.

5. E em setembro tem a estreia nacional do filme Elvis & Madona! Vi lá no blog do Biajoni, autor do livro baseado no filme…

elvis & madona [uma novela lilás], de Luiz Biajoni

elvis & madona [uma novela lilás]Um livro que nasceu de um roteiro. Assim surgiu Elvis & Madona [uma novela lilás]. Luiz Biajoni foi convidado pelo cineasta Marcelo Laffitte para escrever um livro a partir do roteiro para o filme homônimo (que eu ainda não assisti). Biajoni topou e daí nasceu esse livro que é um libelo pela tolerância, pura diversão e um texto para reflexão.

Eu recebi esse livro na minha casa porque ganhei numa promoção no twitter d’O Pensador Selvagem. Demorei um pouco para ler porque a fila é grande, mas quando resolvi começar não parei mais. E a experiência foi super bacana porque li ao lado do Ju numa viagem de trem. A viagem terminou e o livro não. Sem problemas, nos aninhamos na cama com nossa gata e continuamos a leitura. E nos divertimos muito.

Elvis & Madona é um livro pra se ler assim, de um gole só (no nosso caso foram dois goles, mas que valeu por um só), porque ele te prende do início ao fim. A narrativa é dinâmica, cheia de diálogos e os personagens são carismáticos e te conquistam logo de cara. A novela de Biajoni trata de um caso de amor diferente, entre a travesti Madona e a lésbica Elvis. O cenário? Copacabana. Uma Copacabana diferente daquela que estamos habituados de ver e ouvir nas novelas e canções da bossa nova. Uma Copacabana decadente, suja, cheia de personagens marginais e muito, muito mais interessante.

Madona é uma travesti rodada, já fez programa, filme pornô, apresentações em casas de show, teve alguns companheiros e o último deles, João Tripé, levou tudo que ela tinha para pagar dívida de droga. Sem nada ela começa a trabalhar em um salão de beleza para juntar grana e realizar seu grande sonho: criar e interpretar em show transformista. Elvis é um guria miúda que sai do interior de Minas Gerais porque sabe que não se encaixa nos padrões de lá. Ela é lésbica e pensa que em Copacabana poderia viver sossegada e realizar seu sonho: trabalhar em um grande jornal. Enquanto esse dia não chega, ela faz bico fotografando books para adolescentes e entregando pizza. Read More