Teatro dos Lírios, de Lulu Wang

Teatro dos Lírios é o livro de estreia da escritora chinesa radicada na Holanda Lili Wang. Não conheço a fundo a biografia da autora para afirmar (como alguns fizeram em suas resenhas) que ela conta sua história através do olhar Lian Shui, a menina de 12 anos que protagoniza o livro. Fato é que a história narrada por Wang é rica em detalhes e ganha muita força pelo seu plano de fundo histórico. Lian Shui é filha de uma professora de História e de um médico e ambos sofrem com as arbitrariedades da Revolução Cultural Chinesa. O pai é banido para uma província distante e a mãe vai para um campo de reeducação para burgueses (um campo de trabalhos forçados). Lian descobre que tem vitiligo e sua mãe a leva para o campo para que a menina não ficasse sozinha e sofrendo preconceito por sua doença no internato para o qual foi mandada depois da punição de seus pais ser executada.

O livro é dividido em quatro partes nas quais as duas primeiras narram a vida de Lian no campo ao lado de sua mãe e de outras centenas de professores, médicos, psicólogos e outros diversos profissionais considerados intelectuais e, portanto, perigosos para o regime de Mao Tsé-Tung e o momento imediatamente anterior a esse, quando ela conhece e tenta desesperadamente ajudar e ser amiga de uma menina da última casta (a mais baixa de todas). A narrativa é um pouco diferente, eu nunca tinha lido nada de um autor oriental antes e fiquei bastante surpresa com a delicadeza e todas as sutilezas que uma autora chinesa pode trazer para o texto. No entanto, a leitura acabou sendo diferente, mais lenta para ser sincera. Falta de costume, talvez, mas tenho que admitir que a leitura não fluiu tanto quanto eu gostaria e demorei muito mais do que o normal para ler o livro. Esse estranhamento inicial não se dissipou conforme a leitura transcorria apesar da quantidade de páginas e do tempo que fiquei com o livro nas mãos, infelizmente.

As duas primeiras partes narram uma história contínua e que faz o leitor refletir junto com Lian sobre as transformações pelas quais ela está passando, sobre tabus da sociedade chinesa e sobre a política, a corrupção, a dominação e o sentido do contexto histórico que vivia. As aulas de história que Lian teve no campo com um dos professores que lá trabalhavam foi uma das coisas que mais gostei do livro, pois essas aulas não repetiam os ensinamentos que ela teve desde que nasceu e olhava para a história da China de maneira crítica, sem idealizar um país e um partido que suprisse todas as necessidades físicas e espirituais da população como era ensinado para todos na escola durante o regime de Mao. Puxando brasa para o meu assado, as aulas de história são realmente um dos pontos altos do livro, principalmente porque elas falavam muito de teoria da história e do raciocínio histórico e não de um empilhado de fatos de milênios de história chinesa.

Read More

Que tal um Desafio Literário também em 2012?

Desafio Literário 2012

O Desafio Literário já faz parte do meu calendário de leituras –  e de muitos outros blogueiros e blogueiras pela rede afora. E a proposta é que ele continue firme e forte em 2012. Então quem quiser participar é só visitar o blog do desafio, ler as regras (e nesse ano tem algumas mudanças importantes) e se inscrever. Na verdade o prazo para inscrição terminou ontem, mas quem quiser pode falar com a Vivi ou se inscrever no mês que vem. Não desanima que ainda tem tempo.

Pois é, minha lista saiu com atraso. O que é uma vergonha, pois eu continuo na equipe do Desafio Literário em 2012. Só tenho a agradecer a Vivi por essa maravilhosa oportunidade e pedir desculpa pelo atraso. Mas agora que as férias da faculdade chegaram eu posso me dedicar mais aos projetos…

Então chega de papo furado e vamos a lista!

JaneiroLiteratura Gastronômica

  • Julie & Julia, de Julie Powel (Skoob) – esse eu terei de comprar, não tenho nenhum romance que envolva comida na estante. E quando vi o tema pensei direto nesse livro. É muito amor.

Fevereiro – Nome Próprio (de pessoas)

  • Frankenstein, de Mary Shelley (Skoob) – esse tema deu o que falar, mas acabei escolhendo uma leitura que estou devendo há tempos.

Março – Serial Killer

  • Abril Rojo, de Santiago Roncagliolo (Skoob) – uma das compras que fiz em Buenos Aires, por isso vou ler em espanhol mesmo.

Abril – Escritor(a) oriental

  • Teatro dos Lírios, de Lulu Wang – China (Skoob) – Comprei na Feira do Livro de POA em 2009 e está na estante desde então aguardando a oportunidade de ser lido. Pronto, não precisa mais esperar.

Maio – Fatos Históricos

  • A condição humana, de André Malraux – Guerra Civil Chinesa (Skoob) – eu me surpreendi muito com a falta de romances que tratem de fatos históricos na minha estante, os poucos que tem ou eu já li ou é autor que pretendo ler para outros fins… Bem, acabei escolhendo o Malraux, pois foi meu objeto de pesquisa na monografia de final de curso. Agora com outro livro, é claro.

Junho – Viagem no Tempo

  • O fim da eternidade, de Isaac Asimov (Skoob) – mais uma vez terei de comprar o livro, pois tudo que tenho sobre viagem no tempo na estante eu já li. E também não tenho muita coisa, fato, mas esse tema me interessa muito (lembra que eu amo Doctor Who?).

Julho – Prêmio Jabuti

  • O senhor Embaixador, de Erico Veríssimo (Skoob) – ganhador do prêmio de melhor Romance em 1966. Outro que terei de comprar. Incrível que não tenho nenhum dos livros que já ganharam o prêmio Jabuti na categoria Romance. As outras categorias eu ainda não tive tempo de ver. E li pouquíssimos deles também.

Agosto – Terror

  • Celular, de Stephen King (Skoob) – outro que terei de comprar. Apesar de adorar o gênero, minha estante é bem pobre nesse quesito. O bom é que tive o universo de escolher e resolvi dar uma chance ao tão comentado Stephen King, que eu nunca li (VERGONHA).

Setembro – Mitologia universal

  • As Brumas De Avalon – Livro 3 – O Gamo Rei, de Marion Zimmer Bradley (Skoob) – esse ficou para trás no desafio em 2011.Mas gostei tanto da série que resolvi encaixar na lista nova.

Outubro – Graphic Novel

  • Persépolis, de Marjane Satrapi (Skoob) – mais uma leitura que estou devendo. E olha que eu comprei faz quase cinco anos. Faltou tempo e oportunidade. Mas a hora é agora.

Novembro – Escritor(a) africano

  • Infância, de J. M. Coetzee (Skoob) – compra recente e único exemplar do gênero na estante, não tive muita escolha. O que não deixa de ser bom, pois sempre tive vontade de ler Coetzee.

Dezembro – Poesia

  • Cosmogonía de la carne, de Juan Carlos Miranda – esse está na estante há anos. Ganhei de presente e nunca me interessei em ler. Até tinha outras possibilidades de leituras, mas eram todas coisas que eu pretendo ler de um jeito ou de outro, então melhor ler o que eu não leria em outra oportunidade e dar uma chance ao azar.

Para 2012 eu escolhi só um livro por tema porque em 2011 não foi possível cumprir a meta de três leituras por tema e muito provavelmente em 2012 a dificuldade se repetirá. Mas o desafio está lançado.

Compras na Feira do Livro de Porto Alegre

Esse fim de semana eu fui a Feira do Livro de Porto Alegre e fiz um pequeno rancho de livros. Então, vamos a lista.

1. Ô, Psit – O Cinema Popular Dos Trapalhões (Fatimarlei Lunardelli) – O primeiro livro que comprei, no estande da Artes e Ofícios. Adoro os filmes dos Trapalhões (não os novos só com o Didi, é claro) e fiquei com vontade de ler um pouco sobre a trajetória do grupo no cinema. E além disso custou míseros R$ 3,00!

2. Realidades e Chantillys Diversos (Frank Jorge) – Também na Artes e Ofícios comprei este livro porque gosto muito do Frank Jorge cantor/compositor e gostaria de ver como ele se sai na literatura. E saiu por apenas R$ 5,00.

3. Breve História da África (Paulo G. F. Visentini, Luis D. T. Ribeiro e Analúcia D. Pereira) – Um livro para aprender um pouco mais sobre a história do continente, tendo em vista que terei de trabalhar estes conteúdos quando for para a sala de aula como professora. O livro saiu por R$ 13,00.

4. As Sereias do Espaço (Jorge Luiz Calife) – Eu adoro ficção científica. Nao sou uma expert, mas adoro ler o gênero. E ainda não havia lido nenhum livro de autor brasileiro de ficção científica. Quando me deparei com esse no balaio e por R$ 10,00 não aguentei e comprei no ato.

5. Um Escravo Chamado Cervantes (Fernando Arrabal) – Esse eu comprei por ser de um autor que eu tenho muita curiosidade de ler, por toda a história de vida dele. Como eu encontrei por R$ 10,00 e achei a sinopse muito interessante eu comprei para testar.

6. Teatro dos Lírios (Lulu Wang) – Mais um do balaio. Eu não tive muito critério para comprar esse, foi mesmo pela sinopse e pelo preço (R$ 10,00). Achei bacana uma história sobre uma chinesa escrita por uma chinesa.

7. Travessia de Verão (Truman Capote) – R$ 10,00 por um livro do Capote? Comprei sem exitar.

8. As Benevolentes (Jonathan Littell) – Comprei por três motivos: por se tratatr de uma temática que eu particularmente gosto muito: a segunda guerra mundial, pela sinopse (horrores da Segunda Guerra Mundial sob a ótica do carrasco) e pelo preço R$ 10,00.

9. Um Retrato do Artista Quando Jovem (James Joyce) – Aí vão cinco motivos para ter comprado o livro:

  • É James Joyce;
  • É James Joyce;
  • É James Joyce;
  • Custou míseros R$ 10,00;
  • Preciso repetir? É James Joyce!

Mas atenção, esses preços são exclusivos dos balaios da feira. Em qualquer outro lugar (e até mesmo em estandes de diferentes livrarias na própria feira) eles custam muito mais do que isso!