Arquivo

Daily Life

Posts em Daily Life.

2015: Retrospectiva sem firulas

WILD

Ainda em clima de virada de ano (já que o ano só começa mesmo depois do carnaval), resolvi escrever um pouco sobre o meu ano de 2015. Uma espécie de retrospectiva sem muita firula. É quase consenso que 2015 foi um ano bosta. E em muitos sentidos ele foi mesmo. Mas para mim ele teve um quê de especial. Foi uma ano cheio de primeiras vezes, um ano em que experimentei a vida adulta plenamente e até que me saí bem, foi também o ano em que o feminismo mudou como eu me enxergo e me coloco no mundo. Vem, pega minha mão e entenda um pouco mais das sandices que estou falando.

As primeiras vezes:

Tomei banho de cachoeira pela primeira vez. E foi muito especial. Foi num passeio da escola, na companhia de colegas de trabalho e alunos que eu amo e mesmo assim pude me libertar e cair na água gelada de roupa e tudo depois de uma trilha curtinha, mas que deu trabalho, afinal de contas preparo físico passa longe desse corpinho.

E por falar em trilha, em 2015 eu trilhei pela primeira vez na vida! Sim, fiz a trilha do Morro da Urca, no Rio de Janeiro. Foi o maior barato. E para uma primeira trilha me saí super bem subindo os 900 metros até chegar no bondinho e continuar o trajeto para o Pão de Açúcar. Nessa trilha eu também tive um contato bastante próximo com macaquinhos fofinhos que roubaram minha barrinha de cereal em uma parada estratégica para recuperar energias (mais uma vez, preparo físico mandou lembranças).

Ainda no clima esporte, nesse ano eu desci dunas em um sandboard e voei por elas em um bugue irado, e o melhor de tudo, tudo isso aconteceu em Nasca, no Peru.

Untitled design(1)

Adotei mais um gato, o Vincent Van Gogh. Sapeca, arteiro e o bebezão da casa. E radicalizei geral no visual: pintei o cabelo de novo de rosa e depois de azul, além de colocar um piercing no septo.

Nesse ano eu também reuni muitas forças e criei coragem para finalmente terminar um relacionamento que já não estava muito bom e encarei uma aventura completamente nova: enfrentei uma mudança e a vida morando sozinha. Gastei muita grana, meu projeto de economizar foi por água abaixo com tanta mudança na vida (mudanças necessárias). Aluguei um apartamento sozinha e desde o dia 15 de outubro estou morando em Porto Alegre, realizando um sonho de morar no Centro Histórico.

Em 2015 eu viajei três vezes:

  1. Rio de Janeiro (uma semana nas férias de Julho): onde encontrei um casal de amigos que moram por perto, mas que infelizmente vejo pouco, uma amiga do <3 que mora por lá e finalmente conheci uma amiga virtual do tempo que eu era mais ou menos ativa no fórum Valinor...
  2. São Paulo (um bate e volta): 14 e 15 de novembro, com um amigo, para conhecer a Feira do Livro Anarquista de São Paulo. Conheci também o Beco do Batman (muito amor por esse lugar) e passei horas infernais, porém divertidas, na 25 de março.
  3. Peru (sim,fui de novo sem escrever nenhum post sobre a primeira viagem): oito dias na companhia de uma amiga querida que nuca tinha ido. Refiz muitos passeios, vivi aventuras incríveis, pratiquei esportes radicais em Nasca (sandboarding e bugui nas dunas que falei algumas linhas antes), perdi ônibus de uma cidade para outra, pegamos ônibus de viagem que não são destinados para turistas, cheio de locais e de histórias, passei malzona com o soroche em Puno, visitei ilhas flutuantes, vomitei em banheiro de restaurante, passei frio e passei calor, fiquei sem dinheiro (zerada mesmo!) e contei moedas para comer no último dia da viagem, recusei ficar no hostel que tinha reservado porque era horrível de sujo, conheci peruanos e bebi cerveja com eles, fui enganada por agente de viagem em Arequipa, fiquei sem ir a Macchu Picchu e aproveitei muito cada segundo da viagem, mesmo com todos os perrengues.

Untitled design

Eu também fiz upgrade no equipamento fotográfico e de vídeo: comprei uma Canon T5i, uma GoPro 3+ Black Edition, uma Instax Mini e uma câmera lomo, a Diana F+. Além disso, fiz um upgrade no computador, adquiri um MacBook Pro Retina 13′. Descobri dezenas de aplicativos maneiros. Uns me deixaram mais pobres e outros mais rica. Outros ainda me trouxeram horas de gargalhadas e pessoas que passaram voando e outras que ficaram…

Em 2015 eu descobri que ainda tenho fôlego pra ir numa festa mara, dançar a noite toda, ir para casa, tomar banho e mesmo virada entregar boletins no sábado de manhã. Eu também voltei a pedalar, com o aplicativo BikePoa e amei (já estou até pensando em comprar uma bicicleta para mim). E algo maravilhoso: conheci pessoalmente amigos de longa data das internê… Virei um jogo de videogame depois de muito tempo sem jogar. Passei 24 horas lendo em uma maratona literária. E ainda assim li pouco ao longo do ano. Comprei muito livro, vi pouco filme, fui bastante ao cinema (proporcionalmente), gravei alguns vídeos (alguns ainda esperam edição, desculpaê), saí mais com os amigos, desenhei pouco, investi em aquarela, pisei na bola, tentei consertar, reclamei menos, fiz mais.

E talvez o mais importante de tudo, 2015 foi o ano em que o feminismo mudou minha vida. Eu me considero uma feminista desde muito jovem, mas foi somente nesse ano que eu me aprofundei mais no feminismo como teoria e como prática. Aprendi que representação importa, que gordofobia é um problema que eu enfrento desde cedo na vida (e é um termo tão novo que nem o corretor aceita a palavra sem sublinhar de vermelho), que um relacionamento abusivo não depende necessariamente de uma relação com violência doméstica, que eu não preciso ter vergonha de ser diferente, parei de ter vergonha e estou explorando e conhecendo meu próprio corpo, usei o tal copinho pela primeira vez e me apaixonei, resgatei debates internos sobre minha sexualidade. Em 2015 li muito sobre o assunto e mudei muitas práticas na minha vida. Ainda não mudei muitas outras, mas tudo é uma construção diária e começar foi extremamente importante.

Acho que o saldo de 2015 não foi apenas de coisas negativas. Infelizmente nosso cenário político e econômico foi realmente complicado, mas minha vida pessoal meio que compensou isso. Acho que aprendi que viver é experimentar e tirar ensinamentos bons até das piores coisas, e isso tudo eu aprendi (ou reaprendi) esse ano. Então, por todas as coisas boas e ruins, obrigada 2015.

10 coisas que fiz nos últimos 10 anos

Hourglass – de Nick Olejniczak

Vi a Renata do Mulher Vitrola postar no seu perfil do Facebook e adorei. Resolvi fazer também… Afinal, o blog fez 10 anos em Janeiro de 2016. Pelo que eu passei nessa última década?

Os fatos não estão em ordem cronológica ou de importância.

  1. Me formei na UFRGS (História).
  2. Passei no vestibular da UFRGS e comecei outro curso de graduação (Letras).
  3. Adotei alguns gatinhos.
  4. Fiz tatuagens e coloquei um piercing no septo.
  5. Passei em um concurso público e assumi como professora graduada na rede pública de Canoas/RS.
  6. Comprei um apartamento.
  7. Desisti do apartamento, junto com o relacionamento que vivia nele e aluguei um apê só para mim.
  8. Publiquei um livro infantil junto com amigos e colegas de um antigo estágio.
  9. Aprendi a nadar.
  10. Viajei para o exterior mais de uma vez.

Faça também e relembre os bons momentos de sua vida nesses últimos dez anos 🙂

Viva estou

Mais uma vez eu falho miseravelmente em atualizar esse blog. Já está virando rotina, e estou ficando sem graça de aparecer apenas para explicar o porquê do sumiço. Infelizmente eu já não tenho mais aquele tesão com o blog como eu tinha antes. Uma pena. Esse blog me proporcionou coisas muito boas e momentos importantes na minha vida. E esses dias estava conversando com um amigo (que eu tenho graças ao blog) e me dei conta que esse ano o trecos & trapos completa 10 fucking anos!

Isso me trouxe, ao mesmo tempo, nostalgia e um pouco de tesão de voltar a postar. E o mais engraçado é que tenho uns dois ou três posts aguardando publicação, apenas esperando eu levantar essa minha bunda preguiçosa da cama e fotografar as imagens para ilustrar o texto e mais uns quatro ou cinco rascunhos de coisas que precisam ser melhoradas. Isso é inaceitável. Como eu posso ter tanto conteúdo abandonando e ficar me martirizando que não posto mais!

Então, resolvi criar vergonha na cara e dar as caras por aqui mais uma vez. Para tentar trazer nova vida para o blog. Pois por mais que eu reclame que blogs já não tem mais tanto público quanto os vídeos no YouTube (e eu também não postei mais nada por lá!!!) eu também sei que o que traz público é conteúdo. Então vamos criar conteúdo por aqui e fazer a roda girar novamente. São DEZ ANOS! Não é pouca coisa. E para comemorar, muita coisa está sendo planejada com muito amor e carinho. Ansiedade e alegria marcam essa nova fase do blog. 🙂

Vem comigo e me ajuda a fazer desse blog algo maravilhoso. Vamos celebrar juntos, feliz 2016!

6 em 6 – dezembro de 2015

Simples assim: postar seis fotos no blog todo dia 6 do mês, sem tema nem nada. Entre na página do Facebook do projeto 6 em 6 e saiba mais.

Esse mês, fotos fresquinhas de um passeio de domingo pela Redenção e arredores, em Porto Alegre, testando a câmera. Preciso urgente fazer um curso.

 

Parque da Redenção

Chafariz da Redenção

Amizades <3 (foto com temporizador)

Risos

Torre da igreja…

Flores… Nos arredores da Redenção

Sobre minha neura com listas

Em uma época não tão distante, eu tinha o costume de anotar todos os filmes que assistia. Os livros também. Primeiro em um caderno velho, depois em noras no computador que viraram arquivos na nuvem. Aí veio uma série de redes sociais nas quais eu poderia manter o controle das minhas leituras e parei de anotar manualmente. Porém, ao mesmo tempo que parei de anotar os livros lidos, também parei de anotar os filmes vistos, embora eu não tenha me adaptado com nenhuma rede social relacionada à sétima arte. Aí fiquei sem uma lista de filmes vistos.

Minha sorte é que existia um arquivo com os nomes dos filmes vistos enquanto eu e meu ex éramos um casal (o que não faz tanto tempo assim) e nos últimos tempos não tenho visto tantos filmes assim, o que torna os vistos recentemente totalmente lembráveis de cabeça. Onde quero chegar com tudo isso? Eu acho importante manter uma lista de filmes e livros lidos para manter um controle de qualidade e de quantidade e estava sentindo muita falta disso. Ver a lista de filmes vistos do ex me fez perceber o quanto estou devendo no quesito cinema.

Uma coisa que percebi, por exemplo, foi que não consigo mais acompanhar os lançamentos de gêneros que considerava meus preferidos e me detive nos grandes blockbusters. A causa disso pode estar na relativa falta de tempo, ou ainda na preguiça mental de procurar, comprar/baixar os filmes e depois assistir. Além disso, percebi que posso manter um ritmo interessante de idas ao cinema, intercaladas com sessões caseiras de Netflix para recuperar o fôlego dos antigos mais de 100 filmes por ano. Então passei uma noite revendo as tais listas do ex e eliminando filmes que não vi e acrescentando os que vi sozinha. Agora, finalmente, tenho tudo atualizado! Ufa. Então em breve postarei os filmes vistos no ano, bem como os livros lidos. Retomar antigas tradições para gerar conteúdo, manter o ritmo e desbravar novos territórios.

Revisitar o passado de vez em quando é bom. Faz com que repensemos algumas atitudes e consigamos pensar em estratégias para planejar melhor o futuro. Nossa que clichê, mas felizmente é verdade.

Projeto #EconomizaDani: atualização

No final de Agosto vim aqui para conversar sobre um projeto financeiro que pretendia colocar em prática. O projeto nada mais é do que aprender a economizar, ser menos consumista e praticar consumo consciente. Para isso estabeleci algumas metas. Metas possíveis dentro de um prazo relativamente curto (até o final de dezembro). A ideia é fazer atualizações mensais até lá, ou seja, no final de cada mês – até dezembro – vou postando o que avancei e o que aprendi com cada meta. Essa é, portanto, a primeira de 4 atualizações do projeto.

Meta 1: não comprar

Bem, ficar sem comprar nada, nadinha mesmo, eu não consegui. Mas não comprei nada que não julguei essencial. Então vamos lá. Nesse perto do eu precisei comprar um cabo e um carregador para o iPhone 5s que resolveu não aceitar o cabo anterior. Comprei 5 DVD-R para gravar o trabalho dos alunos e entregar no ato da inscrição de um festival que estávamos participando. No fim que não usei as mídias porque de última hora a organização liberou o envio pelo Google Drive. Além disso, perdi um pen drive e aproveitei a ida na loja de materiais de informática para adquirir um novo.

Meta 2: quitar as dívidas.

Bom, nesse quesito estou indo bem. Quitei todas as parcelas que eu tinha na loja Paquetá (que eram poucas e com valores minúsculos). Estou a caminho de quitar as parcelas da Renner (altíssimas e muitas) e também estou, aos poucos, dando conta do cartão de crédito, a mais alta das dívidas e a que vai demorar mais tempo para quitar. Nesse quesito eu acredito que estou indo bem até agora, pois todo o dinheiro que recebo que não é destinado a gastos fixos está direcionado para este propósito.

Meta 3: fazer uma poupança

Pois é, digamos que economizar dinheiro, juntar dinheiro, reservar uma parte dos ganhos para poupar não é nada fácil. Para tentar resolver esse problema optei por fazer um título de capitalização. Por dois motivos: o primeiro diz respeito ao fato de que uma poupança nem sempre rende bem e nem sempre é confiável, no sentido de que eu posso sacar dinheiro quando eu quiser e se eu não quiser/puder eu não deposito dinheiro nela. Com a capitalização eu sou descontada todo mês direto da minha conta bancária de uma valor específico e eu não posso sacar o valor sem perder uma porcentagem por um período determinado em contrato. Quando a capitalização acaba eu recupero todo o valor corrigido e adicionado de 10%. Achei uma solução mais viável para mim no momento, o que não exclui a criação de uma poupança no futuro.

Meta 4: criar uma planilha de gastos

Ainda estou patinando nessa. Preciso achar um modelo de tabela que me agrade e que se encaixe nas minhas necessidades. A Carol comentou no post em que anunciei as metas sobre a existência de aplicativos para controle de gastos. Mas estou no mesmo ponto que com as tabelas: preciso encontrar um que se encaixe nas minhas necessidades. Mas estou procurando.

Meta 5: fazer uma bazar de usados

A parte de separar tudo que eu quero me desfazer/vender já está feita. mas a ideia de fazer um bazar na minha casa para as amigas falhou miseravelmente. A ideia agora é fazer uma bazar virtual. Ainda não sei se crio uma loja virtual ou posto em alguma já existente, tipo Enjoei ou Olx, ou ainda em um grupo do Facebook. Aceito sugestões.

Então no mês que vem eu volto com mais atualizações. Todo mundo torcendo para dar certo. Não esqueça de comentar e mandar suas boas vibrações. 😉

6 em 6 – Setembro de 2015

Finalmente eu voltei com o projeto 6 em 6. Apesar da simplicidade que é postar seis fotos no blog todo dia 6 do mês, sem tema nem nada, eu estou há mais de um ano sem conseguir postar fotos no dia 6. Como estou tentando voltar com força total para o universo blogueiro, quero essa pauta fixa daqui por diante.

Então lá vai. Esse mês resolvi postar algumas fotos das minhas últimas viagens para dar um gostinho do que vem por aí: posts recheados de dicas e experiências de viagem.

Casa Rosada em Buenos Aires

Paranapiacaba, São Paulo

La Sebastiana, uma das casas museu de Pablo Neruda, em Valparaíso, Chile

Macchu Picchu no Peru

Farol de Klein Curaçao em Curaçao

Vista de cima do Pão de Açúcar, Rio de Janeiro

Então, um destino, uma foto. Internacionais, nacionais, não importa, o que importa é viajar! Até mais, e não esqueça de deixar seu comentário. 😉