Twice upon a time: me despedindo do 12º Doutor

Twice upon a time: me despedindo do 12º Doutor

Eu sou apaixonada por Doctor Who, e não é de hoje. Tem muitas tentativas de resenha aqui no blog para provar. Mas como tanta coisa aconteceu e o blog passou por muitas fases e abandonos, acabai não falando mais sobre uma das minhas séries preferidas da vida por aqui. Isso até agora, porque nesse Natal o especial foi exibido no cinema e eu fui conferir, porque foi especial também por ser uma regeneração, a do Capaldão (apelido carinhoso que utilizo para me referir ao Peter Capaldi, o 12º Doutor). Disclaimer feito, vamos ao que interessa.

Nossa, como chorei. Aliás, no documentário exibido antes do episódio de fato começar eu já estava chorando. Chorei não apenas por ser uma regeneração, que sempre é muito emocionante, mas todo o clima do episódio, todas as falas, tudo foi tão maravilhosamente e cuidadosamente feito que me atingiram em um nível que nem sei explicar.

Logo no início do episódio Rachel Talalay inseriu o ator David Bradley como 1º Doctor de uma maneira muito bacana. A forma como ela inseriu na tela o primeiro Doutor foi incrível, uma mistura de imagens da época com imagens refeitas em cima das que já existiam. Perfeito! Eu já adorava a ideia de David interpretar o primeiro Doutor desde An Adventure in Space and Time, um telefilme britânico de 2013 escrito por Mark Gatiss especialmente para o aniversário de 50 anos de Doctor Who, que  dramatiza a forma como Doctor Who foi criado e produzido. Mas eu fiquei impressionada com foi uma excelente escolha! Bradley arrasou, de verdade. E ver todo o conflito entre a primeira e a última versão do mesmo Doutor foi mesmo muito especial.

Nesse episódio o Doutor, em suas duas versões, questiona sua regeneração. Cada um com seus motivos, eles não querem regenerar. E durante o episódio o amadurecimento dos personagens em torno dessa questão é muito bem trabalhado. Cada fala dos dois leva ao final do episódio. E que falas. Todas, eu disse todas as falas do episódio são absolutamente bem trabalhadas e fazem parte de algo maior, a regeneração que está por vir.

O enredo do episódio é também fantástico. A criatura nova que é apresentada, um problema na linha do tempo, o retorno de personagens queridas, tudo é ao mesmo tempo novo e nostálgico. Foi um episódio para os fãs e para a equipe envolvida (que também é fã). O amor dos atores e atrizes, da diretora, do Moffat pela série era palpável na tela.

O conflito, o medo de seguir em frente, os desfechos, cada coisa muito bem trabalhada para que a despedida de Capaldi fosse triste, mas um triste melancólico, um triste nostálgico, não só de Capaldi, mas de todos os doutores.

E o desfecho para Bill e Nardole, que coisa mais linda! E Clara, ah Clara, foi tão bom te rever, tão maravilhoso o que Moffat nos presenteou, a forma como sua história foi encerrada. Mark Gatiss estava espetacular também. Um oficial da primeira guerra que ficou preso numa intrincada ruptura na linha do tempo que interpretou de forma maravilhosa a confusão e maravilhamento de estar na TARDIS e viajar para outros tempos e lugares, conhecer pessoas diferentes e conhecer dois doutores.

Alias, um dos pontos altos (que foram muitos!) do episódio foi acena do Armistício de Natal nas trincheiras em 1914. Que cena arrepiante. Como muitas outras, chorei muito. Aliás, eu chorei o tempo todo. Mas também ri. Muitas referências engraçadas e muitas piadas, todas muito bem colocadas na hora certa. Mas as melhores piadas foram aquelas que faziam referência ao conflito de gerações entre os doutores e como Bill lidou com isso. Alias, Bill, parabéns, você entrou para o roll das melhores companions por tudo que fez nessa temporada, mas nesse especial você estava sensacional.

Sentirei muita falta do 12º Doutor, de Bill e de Moffat, mas estou tão ansiosa pela nova fase, ver como tudo vai ser sem o Moffat e com a Jodie Whittaker como Doutora que estou com meu coração dividido. O gostinho de Jodie como nossa 13º Doutora na TARDIS já me deixou bem ansiosa.

Long story short: amei demais a experiência de voltar a ver Doctor Who no cinema (já tinha visto o especial de 50 anos), chorei muito, ri bastante, fiquei nostálgica com personagens que amo, ansiosa pela nova doutora e já quero a nova temporada para logo.

Alguém mais assistiu? Me conta o que achou.

Steven Moffat deixará Doctor Who após a 10ª temporada

Steven Moffat deixará Doctor Who após a 10ª temporada
moffat
Hoje o dia foi bombástico para os fãs de Doctor Who. Foram duas, isso mesmo, duas grandes notícias para os Whovians: Steven Moffat anunciou que não será mais o Showrunner da série, quem assumirá em seu lugar é o criador da incrível Broadchurch, Chris Chibnall. E não tem Doctor Who até o especial de Natal de 2016!!!
 
  1. Gosto demais da era Moffat, mas renovar é sempre bom.
  2. Como assim não tem episódio até o especial de Natal desse ano? É muito tempo sem o Doutor!!!
Em 2017 Moffat vai fazer uma temporada que, segundo o próprio, culminará em um grande evento, algo muito importante vai acontecer. Ou seja: como assim ele anuncia que vai sair, que ficaremos uma ano sem o Doutor e ainda por cima larga essa bomba de que algo muito grande vai acontecer. Quer me matar de ansiedade? É isso?
O motivo da saída de Moffat é o desejo de dedicar mais tempo para Sherlock, então esta tudo bem. Afinal de contas ter mais episódios de Sherlock é um desejo imenso. E parece que vai ter spinoff de Doctor Who também… Ou seja, 2017 vai render um caldo para os whovians.
Só posso falar que tenho grandes expectativas para a próxima temporada e muita expectativa também para a chegada de Chibnall em 2018.
E Moffat, muito obrigada pelos Weeping Angels, por todas as suas temporadas, pelo Matt Smith, por Amy e Rory, por Clara Oswald e por Capaldi.

Doctor Who em eBook – Eoin Colfer fala sobre sua participação no projeto

Doctor Who em eBook – Eoin Colfer fala sobre sua participação no projeto

Hoje é dia 11/01, dia de Eoin Colfer apresentar o primeiro ebook especial para 50º aniversário Doctor Who, A Big Hand for the Doctor, que sai 23 de janeiro de 2013.

Ouvir do próprio Eoin o que ele preparou em sua história sobre o primeiro Doutor é super emocionante! E ele já adiantou que o nosso querido Doutor estará de volta a Londres Vitoriana!!! Se não aguentar de ansiedade para ler o que ele nos reservou de surpresas, pode ler um trecho do livro no site do jornal The Guardian, ou baixar uma amostra grátis na Amazon. Há, quem quiser comprar na pré-venda agora pode fazer pela iBookstore também.

Adorei o vídeo, pena que e curtinho. Eu já vi dezenas de vezes e mal posso esperar para conhecer a história completa. Dá uma olhada no vídeo também:

Doctor Who em eBook!!! <3

Doctor Who em eBook!!! <3

No ano que marca os 50 anos da mais maravilhosa das séries, Doctor Who, nós fãs somos presenteados com mais uma novidade incrível do universo Who: a contratação de 11 autores britânicos para escrever 11 histórias de Doctor Who e serem publicadas em ebook. Não é o máximo?

Vai funcionar assim: cada autor escreverá uma história contemplando um dos doutores. As histórias serão liberadas aos poucos, uma por mês, sempre no dia 23 (pois o dia do aniversário de doctor Who é 23 de Novembro), sendo que a primeira será sobre o primeiro Doutor e sai em Janeiro, a segunda será sobre o segundo Doutor e sai em Fevereiro e assim sucessivamente até a 11ª história sobre o 11º Doutor em Novembro.. Os livros digitais serão publicações da editora britânica Puffin e o primeiro deles já está em pré-venda na Amazon para Kindle pela bagatela de US $ 2,68. Uma maravilha. Quem não tem Kindle também pode comprar e ler nos aplicativos disponibilizados gratuitamente na própria Amazon, ou converter para epub no Calibre, é claro.

E como se apenas essa novidade não gerasse expectativa o suficiente, a identidade dos autores será mantida em sigilo até a data de lançamento de cada livro. E sabemos também que os autores serão grandes nomes da literatura infanto-juvenil britânica. Quem chuta que um deles será nosso querido, amado, salve salve Neil Gaiman?

Como eu já citei anteriormente, o primeiro livro com a história sobre o primeiro Doutor já está em pré-venda, portanto já é de conhecimento público o nome do autor: Eoin Colfer, autor dos livros Artemis Fowl e o escolhido para dar continuidade aos livros de Douglas Adams, O Guia do Mochileiro da Galáxia. Não é incrível? Nunca li o autor, mas sempre ouço e leio muitos elogios sobre sua obra, então acredito que será um grande livro.

E para continuar com números cabalísticos e referenciais de Doctor Who, sempre no dia 11 (sacou? 11 doutores, dia 11…) o canal do Youtube  da BBC especial sobre Doctor Who publicará um vídeo promocional apresentando o autor da história seguinte. O vídeo sobre Eoin Colfer sairá nessa sexta (popularmente conhecido como amanhã) dia 11/01.

O título desse primeiro ebook é A Big Hand For The Doctor, e eu mal posso esperar para ler! Gente, US $ 2,68 é muita pechincha. Eu já baixei minha amostra grátis do livro e estou me coçando para comprar logo… Para falar a verdade eu não sei o que estou esperando! Felicidade define!

Olha a capa, que coisa mais linda:

Fonte: BBC América / Anglophenia

Saiu o trailer da 7ª temporada de Doctor Who!

Saiu o trailer da 7ª temporada de Doctor Who!

Dinosaurs! On a spaceship!

Saiu hoje o trailer da aguardadíssima sétima temporada de Doctor Who. Primeiro foi essa imagem incrível que ilustra o post que apareceu na rede. Logo em seguida a BBC postou o vídeo com o trailer e incluiu em sua página a imagem promocional. E sabe o que eu tenho a dizer sobre esse trailer? FODÁSTICO!!!!! De tirar o fôlego. Gritinhos, pulinhos e palmas. E que a data do primeiro episódio chegue o mais rápido possível. Contando os dias e perdendo as unhas de tanta ansiedade!

Se não conseguir visualizar, assista direto no youtube 😉