Links Love #6


1. O Juliano fez um texto suer bacana sobre a nova comédia que conta a história de um grupo de amigos, Happy Endings. Eu já vi a série e aprovei.

2. O Alessandro Martins fez uma bela reflexão sobre a arte e seus espaços: a arte deveria permitir mais ou proibir mais?

3. Essa semana o grupos Anonymous sofreu uma série de represálias tanto no meio virtual como no real, tem um artigo super bacana sobre isso lá no Garotas Nerds.

4. O Tele Séries fez um texto sobre amigos com benefícios para comemorar o Dia do Amigo e mostrou alguns casais da ficção que se aventuraram nessa amizade colorida.

5. A Câmara de um cidade inglesa distribui panfleto sobre como reagir em caso de ataque de zumbis.

Silvana Mello

Não tem muito tempo que me deparei com um trabalho da artista Silvana Mello. E gostei muito. Daí em diante comecei a procurar por suas obras pela internet. Infelizmente eu não tive a oportunidade de ver ao vivo nenhum trabalho dela.

Ela é desenhista profissional há oito anos e se define como uma artista que desenha “errado” e faz o que quer. Seus trabalhos têm um ar retrô e são muito inspiradores. Deixo algumas imagens de seus desenhos que encontrei pela rede. Em cada imagem tem um link para o site de origem.

Estratégia e Análise #7

Mais uma republicação da nota semanal do Estratégia & Análise.


Red Composition “TTG”, 1952; Oil on wood; 15 1/2 x 19 1/4 in; 40 x 49 cm.

Matto, o uruguaio que resgatou as culturas ameríndias

Buenas, depois do recesso de final de ano estou de volta com a nota. Retornando com a euforia típica da época, convoco a todos para conhecer junto comigo o trabalho do artista Francisco Matto (1911 -1995).

Ele constitui seu trabalho por uma fusão entre a arte das tradições pré-colombianas e a abstração geométrica. Nascido em Montevidéu, Uruguai teve problemas com sua proposta, isso porque na Banda Oriental não há uma cultura pré-colombiana como no Peru, Bolívia ou México, que constitua em grandes arquiteturas ou em sociedades complexas. Pode se dizer então que sua obraé produto de uma reflexão para além da sua realidade local. Combinando a tradição de outras regiões com modernidade nos leva a questionar o significado da palavra e do conjunto de elementos que compõe o conceito: “tradição“.

O ponto mais marcante de sua carreira aconteceu em 1939, quando conheceu Joaquín Torres García, com quem criou, em 1942, o Taller Torres-García. E no ano seguinte, escreveu Carta Pictórica, La Geometría en el arte moderno, livro não publicado que predizia uma importante mudança em sua obra. Matto começou a pintar obras em tábuas de formato irregular, sobre temas religiosos, que seriam uma constante ao longo de sua vida.

O diálogo proposto pelo artista compõe a tradição como principal elemento integrador. Discutir questões regionais, locais e para além do lugar onde e vive como parte da formação de um grupo ou indivíduo. Do papel desses artefatos, buscando no passado e na etnografia das sociedades tradicionais elementos constituidores de sua obra.

Se não conseguimos as formas elementares, nunca chegaremos ao mistério“. (Matto)