Trilhas sonoras

As trilhas sonoras são parte importantíssima de um filme. A opção por determinada canção ou a criação de outra são etapas muito importantes da produção de um filme, e especialmente produzidas para determinado filme ou não, as boas trilhas sempre ficam marcadas na memória.

Eu tenho uma pasta no computador dedicada aos álbuns de trilhas sonoras de filmes (e uma também para novelas, séries e até para jogos de vídeo game). Quando eu gosto de uma trilha eu procuro ouvi-la o mais rápido possível (é quase a primeira coisa que faço depois de apreciar um filme).

Algumas trilhas são eleitas como preferidas, as que estou sempre ouvindo, repetidamente, à exaustão (diriam alguns). As trilhas sonoras que permaneceram mais tempo no mp3 até agora foram:

Apenas uma vez

(Once; Dir:  John Carney; Irlanda; 2006)

Todas as canções da trilha são lindas. O filme é simplesmente maravilhoso. E o tema do filme é a própria trilha sonora. um músico de rua (Glen Hansard – ator estreante e músico) que conhece uma pianista (Markéta Irglová) e aos poucos os dois começam a se envolver em novas composições juntos, o que faz ele se estimular a conseguir algo a mais da música. Once levou o Oscar 2008 de “Melhor Canção Original” com a música “Falling Slowly” (do próprio Glen Hansard).

Alta Fidelidade

(High Fidelity; Dir: Stephen Frears; UK/EUA; 2000)

Apesar de fazer um bom tempo que vi o filme, a trilha continua sendo uma das minhas preferidas, assim como a própria produção cinematográfica. Belas músicas escolhidas para conduzirem o caminho Rob Gordon (John Cusack) que é dono de uma loja de música à beira da falência, que apenas vende discos em vinil. Ele é uma enciclopédia ambulante quando o assunto é música, e por isso o filme é recheado de referências a bandas que eu simplesmente adoro. Mas um aviso bem importante: apesar do filme ser baseado no livro homônimo de Nick Hornby, a trilha não é uma compilação dos clássicos citados no mesmo.

Juno

(Juno; Dir: Jason Reitman; EUA/ Canadá; 2007)

Um dos melhores filmes da safra 2007 (expressão emprestada do Juliano). Já vi e revi, e a trilha é tão boa quanto o filme. São composições de Kimya Dawson (que costumava ser da banda Moldy Peaches), Belle & Sebastian e Cat Power. Uma compilação de músicas esquisitinhas (e aqui não há sentido pejorativo, oculto ou explícito) e considerada, por muitos, uma trilha indie, assim como o filme. As canções trazem uma sensação boa ao ouvir e soam melhor a cada vez que escuto.

O Fabuloso Destino de Amèlie Poulain

(Le Fabuleux destin d’Amélie Poulain; Dir: Jean-Pierre Jeunet; França; 2001)

Do tipo de trilha que posso ouvir o dia inteiro, repetindo uma, duas, três vezes sem parar. A trilha sonora original foi composta pelo gênio Yann Tiersen e já se tornou um clássico. Tiersen compôs, especialmente para Amélie Poulain, seis canções, entre elas “La Valse d’ Amélie”, que acabou se tornando o grande tema do filme. Temas alegres, outros nostálgicos as canções são executadas utilizando-se de vários elementos não convencionais, como uma máquina de escrever. Clássico é clássico, e é indispensável!

Os Saltimbancos trapalhões

(Os Saltimbancos trapalhões; Dir: J.B. Tanko; Brasil; 1981)

Da lista, a única de terras tupiniquins. O filme é incrível (e eu sou suspeita para falar, porque é o meu preferido dos filmes d’Os Trapalhões). Composições de Chico Buarque e interpretações de atores do filme e do próprio Chico. Como é de costume nos filmes do antigo quarteto, as músicas seguem a seqüência do filme e estão sempre relacionadas com a cena em que elas aparecem. Uma espécie de comédia musical, por assim dizer. É desse filme as famosas músicas “Piruetas” e “História de Uma Gata“. E uma das minhas preferidas é “Todos Juntos“.

Essa é uma lista como qualquer outra, incompleta. E os posts sobre as trilhas sonoras que eu mais ouço/mais gosto continuam. Os próximos  textos serão sobre músicas marcantes de certos filmes e logo em seguida escreverei sobre as trilhas instrumentais e também sobre as trilhas de musicais. Enquanto isso, eu aguardo as sugestões. E tu, tens alguma trilha sonora que goste muito? Compartilhe aqui no blog.

Juno – Trilha Sonora

Uma das razões para Juno ser um dos filmes mais fofos desse começo de ano (e mais indie também) é a trilha sonora. A  comédia indicada para quatro Oscars e ganhadora de um (melhor roteiro original) liderou a lista dos 200 discos mais vendidos nos EUA na última semana, de acordo com a Billboard. Esta é a primeira vez que a trilha sonora de um filme atinge o topo do ranking divulgado pela revista norte-americana desde Titanic, de 1998.

[youtube1]20PQBtyfNZY[/youtube1]

A trilha é composta pelas canções folk de Kimya Dawson (que costumava ser da banda Moldy Peaches), algumas composições dos escoceses do Belle & Sebastian e Cat Power.

Juno – Soundtrack (2007) (download)

01-All I Wan Is You – Barry Louis Polisar
02-Rollercoaster – Kimya Dawson
03-A Well Respected Man – The Kinks
04-Dearest – Buddy Holly
05-Up The Spout – Mateo Messina
06-Tire Swing – Kimya Dawson
07-Piazza New York Catcher – Belle & Sebastian
08-Loose Lips – Kimya Dawson
09-Superstar – Sonic Youth
10-Sleep – Kimya Dawson
11-Expectations – Belle & Sebastian
12-All The Young Dudes – Mott The Hoople
13-So Nice So Smart – Kimya Dawson
14-Sea Of Love – Cat Power
15-Tree-Hugger – Kimya Dawson & Antsy Pants
16-Sticking With You – The Velvet Underground
17-Anyone Else But You – Moldy Peaches
18-Vampire – Antsy Pants
19-Anyone Else But You – Michael Cera & Ellen Page

Juno

Segunda-feira eu fui ao cinema especialmente para ver Juno com minhas amigas, saí da sala com uma sensação de filme bom e trilha perfeita. Um filme leve, simples, muito bonito, com pitadas deliciosas de cultura pop para torná-lo ainda mais irresistível.

Adquiri a trilha original e já escutei mais de sete vezes o disco todo, e sempre lembrando de cada cena. Aposto comigo mesma que volto no cinema para rever! Passo o dia cantarolando as canções.

Já no início eu tive a sensação de uma viagem musical. A abertura do filme é linda, e acompanhar a trajetória de Juno é tão acolhedor. Com personagens cativantes o filme atravessa as quatro estações do ano em um ambiente descontraído e convidativo. Sorri, chorei e me senti tão feliz de ter visto esse filme.