Casa Glass (The Morganville Vampires #1), de Rachel Caine

Depois de finalmente conseguir terminar Casa Glass, só posso dizer que achei o livro muito mais do mesmo, isto é, uma história lugar comum, sem nenhuma novidade. Muitos clichês românticos e personagens sem nenhuma profundidade. O velho drama adolescente que além de ser chato, é irreal (me recuso a acreditar que todas as adolescentes passam o tempo todo pensando em meninos, pois eu não fui esse tipo de adolescente).

A livro fala sobre uma adolescente precoce na universidade em Morganville: a protagonista Claire Danvers. A guria de 16 anos é um pequeno gênio e vai parar em uma universidade localizada numa cidade infestada de vampiros, apesar de obrigada pelos pais ela não gostou muito da ideia. Ok, ela tem pais preocupadíssimos que não a deixam viajar quilômetros de distância para estudar em um lugar decente, mas bem capaz que um gênio estudaria em uma universidade qualquer no fim do mundo. Não bastasse a protagonista ser inteligentíssima (o que ao longo do livro se mostra uma inverdade, pois ela é muito estúpida nas decisões que toma), ela é também uma excluída, ninguém gosta dela no lugar de onde ela veio e também no dormitório onde vive. Já não passou o tempo de excluir os CDFs? Algumas meninas no dormitório a querem morta, pelo motivo mais imbecil que eu já vi em toda a minha vida!

Na tentativa de fugir das doidas do dormitório, Claire acaba conhecendo o trio de moradores da Casa Glass, uma casa super antiga na cidade e para enganar suas perseguidoras, acaba indo morar com eles. Os amigos que ela faz não são menos caricatos: uma gótica, um garoto perfeitinho/lindo e outro lindo/com problemas para se abrir. E cada vez que Claire soltava um pensamento do tipo: “minha nossa como ele é lindo” eu quase vomitava em cima do livro. Ela descobre que a cidade não é apenas infestada, mas administrada por vampiros e apenas os que possuem proteção estão a salvo. Os outros (principalmente os alunos da universidade) podem servir de lanche aos caminhantes noturnos a qualquer momento. Claire e seus amigos, é claro, não possuem proteção. A história gira em torno da tentativa dos amigos de Claire tentando salvá-la dos vampiros e das meninas más do dormitório e para isso resolvem confeccionar ou encontrar um livro que é muito precioso para os vampiros para barganhar por suas vidas.

Nas últimas 50 páginas o livro começa a ficar interessante (não muito), pois são narradas mais cenas de ação e o ápice da história, mas não chega a ser grande coisa em nenhum momento. O final foi uma surpresa, um alívio até, depois de tantas páginas cheias de clichês, personagens mal estruturados e uma narrativa ruim. Simples assim. Além disso, a tradução tem muitos erros. Não sei se faltou revisão ou se foi mal feita mesmo, fato é que tem erros de digitação, pontuação, ortografia, concordância verbal e nominal. Mais uma vez a editora Underworld se esforça demais na apresentação (capa e projeto gráfico) e de menos na tradução/revisão.

Casa Glass (The Morganville Vampires #1)
Rachel Caine
Editora Underworld
288 páginas
Goodreads | Shelfari | Skoob | Submarino
[xrr rating=1/5]

Recebi e resenhei esse livro para o Book Tour da Editora Underworld, do qual participo.

Book Tour da Editora Underworld

O Meme Literário de Um Mês 2011 – Dia 31

Qual o livro que você leu esse ano que mais gostou?
(Fale sobre ele)

A Rainha do Castelo de Ar, Stieg Larsson

Nesse ano eu li muito livro bom. Fica difícil escolher um só. Mas como é preciso, vou ficar com um que devorei em poucos dias, que marcou o final de uma trilogia que eu simplesmente me apaixonei e com a personagem mais marcante do ano: A rainha do castelo de ar (Millennium #3), de Stieg Larsson. Uma narrativa clara, concisa, de tirar o fôlego e de uma evolução surpreendente, A Rainha do Castelo de Ar é o mais longo dos livros da Trilogia Millennium e pode até intimidar alguns leitores pelo tamanho, mas certamente conquistou minha admiração. Sua leitura despertou em mim, além de um sentimento agradável que se apoderou do meu ânimo ao ler um livro extraordinário, uma angustiosa e deliciosa expectativa sobre o que poderia acontecer. Cada palavra, cada frase, tinha um porquê e levava a um questionamento sobre os caminhos e decisões a serem tomados pelos personagens.

Para ver as respostas dos outros dias, clique aqui.

Editora Dracaena anuncia novo site e brindes exclusivos

A Editora Dracaena acaba de lançar o seu novo site. Agora o internauta pode comprar livros diretamente com a editora e com descontos especiais, além de encontrar muitos produtos com frete gratuito para todo o território nacional. E todas as compras realizadas pelo site até o dia 15 de novembro ganharão 2 marcadores dos livros ‘Nêmesis’ – ‘Não deixe o sol brilhar em mim’. Para ganhar basta acessar o site e fazer a compra de qualquer livro.

O marcador:

frente verso

A Editora Dracaena aproveita para anunciar o lançamento do livro “Caminho de Santiago – Um passeio pela história” do autor Carlos Augusto Ozório. Não é meu tipo de livro, mas para quem gosta de livros sobre espiritualidade e religião, pode ser uma boa pedida. Read More

Todas as Histórias do Analista de Bagé

Todas as Histórias do Analista de BagéO Analista de Bagé é um psicanalista que criou a terapia do joelhaço e faz muito sucesso com seus tratamentos nada convencionais. Ele é também um dos personagens mais famosos de Luis Fernando Veríssimo. Nesse pequeno livro estão reunidas as histórias do analista e por serem leves, divertidas, engraçadas e curtas, é super rápido de ler. Uma ou duas viagens de trem.

São pequenos contos reunidos e talvez por isso algumas coisas se repitam demais, do meu ponto de vista. Em quase todas eles temos uma descrição de como é o divã do analista, de como é sua relação com a secretária e de como ele criou a terapia do joelhaço. Mas isso não chega a incomodar muito, afinal a leitura é tão rápida que pode até passar despercebido.

O que mais me incomodou, na realidade, foi algumas das tiradas do gaudério. Algumas passagens tem um tom marcadamente machista ou homofóbico. Eu quero crer que eu é que não peguei o tom da piada ou o grau de ironia. Afinal a leitura foi realmente muito rápida. Nem todas as piadas sobre mulher são machistas, mas algumas me pareceram, e muito. Um pouco do que constitui a personalidade e a cultura do gaúcho é machista, mas por favor, não estou generalizando! Read More

Mr. Postman #24

Bem vind@ ao Mr. Postman!

Esse é um meme criado pela Kristi, do The Story Siren, no qual mostrarei tudo o que recebi, comprei ou ganhei durante a semana.

Olá, mais um vídeo no ar mesmo com a promessa de tentar uma reabilitação. Faz um tempinho que não posto vídeo, mas as compras não pararam… Tentei não fazer um vídeo muito longo, espero que aprecie. E não esqueça de deixar o seu comentário.

[youtube1]o9DN-aGjeuM[/youtube1] Link Direto